As Irmãs do Destino na mitologia grega

Escrito por frank b. chavez iii | Traduzido por luana ribeiro
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
As Irmãs do Destino na mitologia grega
Na mitologia grega, três irmãs regiam o destino de uma pessoa (Medioimages/Photodisc/Photodisc/Getty Images)

Como em muitas outras culturas, os gregos acreditavam no destino, na ideia de que certos fatos na vida de uma pessoa acontecem de acordo com um plano divino. Na mitologia grega, o conceito de destino foi representado por três deusas, que os estudiosos modernos chamam de Parcas. Ela foram imaginadas como velhas que tecem o destino de uma pessoa como lã.

Outras pessoas estão lendo

As deusas

O antigo nome grego para Parcas era "Mouras", que significava "parte atribuída", "Peças" ou "Partes". Elas eram vistas como aquelas que distribuíam a parte de cada pessoa dentro do grande esquema das coisas. Klotho, ou "Spinner", tecia o fio da vida. Lakhesis, ou "Repartidora de porções", media o fio da vida. Atropos, ou "Aquela que não pode ser transformada," cortava o fio. No entanto, os gregos acreditavam que Zeus, em seu papel como o deus do destino, às vezes poderia mudar o destino de uma pessoa, embora esta habilidade era considerada limitada. Por exemplo, em "Ilíada", Zeus contemplava salvar um de seus filhos de sua morte predestinada. Hera avisou a Zeus que ao intervir, perturbaria a ordem natural das coisas e despertaria a ira das Fúrias.

Filiação e Relações

A filiação das Parcas foi atribuída a várias divindades diferentes. Em "Teogonia", no século VIII a.C., o poeta Hesíodo descreve-as como as filhas órfãs de Nyx, deusa da noite. No entanto, ele também diz que os seus pais eram Zeus e Themis, a deusa da lei. Outras filiações incluem as divindades primitivas Okeanos, deus do mar, e Gaia, deusa da Terra; Erebos, o deus da escuridão e Nyx; Cronos, deus do tempo e Nyx; Ananke, deusa da inevitabilidade e Khaos, deusa da atmosfera inferior. As irmãs das Parcas incluem Dike, deusa da Justiça, Eirene, deusa da Paz, Eunomia, deusa da legalidade e Horaes, as deusas das estações.

Origens antigas

O conhecimento acadêmico moderno sobre as Parcas vêm de várias fontes antigas. Além da "Teogonia", outras fontes incluem peças de Ésquilo, "Prometeu Acorrentado" e "Eumênides", Aristófanes, "Os sapos"; o poema de Hesíodo "Escudo de Hércules"; Eurípides em "Alcetis"; os épicos de Homero, "Ilíada" e "Odisseia"; e o poema de Píndaro, "Odes Píticos''. Homero descreve apenas uma Parca; as outras fontes geralmente descrevem-nas como um trio.

Figuras semelhantes

Como na cultura romana desenvolvida, eles misturaram as Mouras com suas próprias deusas do destino, as Parcas. Os povos escandinavos e germânicos acreditavam em três deusas semelhantes chamadas de "Norns", que incluía Wyrd, deusa do passado, Verthandi, deusa do presente e Skuld, do futuro. As Norns foram retratadas como aquelas que movimentam o fio do destino de cada pessoa e o tecem em um pano, representando o destino de toda a humanidade. As três bruxas na peça "Macbeth", de Shakespeare, desempenham um papel semelhante, dando profecias a Macbeth, que ele vê como seu destino.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível