Melhores medicamentos para o alívio da prisão de ventre

Escrito por sarai jeremiah | Traduzido por mário candi tsuge
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

A prisão de ventre é uma das reclamações gastrointestinais mais comuns do mundo. Ela pode afetar qualquer pessoa a qualquer momento, mas muitas vezes ocorre durante uma gravidez e após um parto ou cirurgia. Também é mais comum em homens e mulheres acima de 65 anos. Na maioria dos casos, a prisão de ventre é temporária e pode ser tratada com remédios naturais, frutas, legumes e medicamentos comuns. Além disso, ela pode ser prevenida com simples mudanças de estilo de vida e dieta.

Outras pessoas estão lendo

Plano de fundo

A prisão de ventre é causada quando o cólon absorve muita água ou por contrações musculares que movem as fezes muito lentamente. Como resultado, as fezes podem ficar duras e secas. Os sintomas da constipação geralmente incluem fezes duras, esforço excessivo, sangue nas fezes, dor abdominal e movimentos infrequentes no intestino — em média, menos de três movimentos do intestino por semana.

Tratamento

Além de aumentar a ingestão de água, comer fibras e exercitar-se, os alimentos que podem ajudar a manter a função normal do intestino incluem uvas, peras, soja, linhaça, damascos, figos, pêssegos, arroz integral, feijão, farelo, ameixas secas e legumes folhosos. Os laxantes e outros medicamentos são frequentemente utilizados para amolecer as fezes e aliviar a constipação quando as mudanças na dieta não são suficientes.

Laxantes

Os laxantes estimulantes são muito usados e fornecem um rápido alívio da constipação, causando contrações rítmicas na parede intestinal. Eles estão disponíveis na forma de líquido e pílula. Os laxantes salinos são normalmente usados na preparação de procedimentos cirúrgicos. Esses laxantes trabalham trazendo água para o cólon, tornando mais fácil a passagem das fezes. Os laxantes salinos são tomados via oral e surtem efeito com rapidez. Os laxantes lubrificantes revestem o intestino com uma película impermeável, permitindo que as fezes fiquem mais suaves, movendo-se facilmente através do cólon.

Tratamentos alternativos

Os enemas contêm fluidos que funcionam umedecendo as fezes e impedindo-as de ficarem duras e secas. Eles são administrados via reto e são úteis quando existe uma impactação fecal no reto. O sal de Epsom, ou sal do mar, também pode ser utilizado para ajudar no alívio da prisão de ventre. Quando misturado com água, ambos os produtos permitem a eliminação em menos de 30 minutos. Por último, o chá de sene é muitas vezes usado para amolecer as fezes e ajudar no alívio da prisão de ventre. Um sachê de chá pode ajudar na eliminação dentro de poucas horas.

Medicamentos com receita

A Amitiza, também conhecida uma lubiprostona, é um ativador de canal de cloreto que aumenta o conteúdo líquido das fezes. Ela é usada para tratar a prisão de ventre crônica. Os efeitos colaterais podem incluir náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal.

A Cephula, Miralax, Duphalac, Glycolax e Lactulose são laxantes osmóticos populares. Os osmóticos aumentam a quantidade de fluido secretado dentro dos intestinos, resultando em movimentos intestinais. Alguns laxantes osmóticos exigem receita médica, enquanto outros podem ser comprados sem receita. Os efeitos colaterais comuns incluem náuseas, distensão abdominal, flatulência e diarreia.

Medicamentos sem receita

Outros medicamentos associados à prisão de ventre incluem Alophen, Citrucel, Correctol, Dulcolax, laxante, Fibrecon, Genfiber, Hydrocil, leite de magnésia, Metamucil, Senokot e Visicol. Esses remédios podem ser utilizados para manter os movimentos intestinais regulares ou tratar a constipação.

Cuidados

Os laxantes não devem ser tomados por mais de duas semanas sem recomendação de um médico. Contacte o seu médico se estiver com prisão de ventre por duas ou mais semanas, se os movimentos intestinais estiverem acompanhados por dor intensa ou se o sangue estiver presente em suas fezes.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível