Métodos de laboratório para testar os fatores C3 e C4 do sistema complemento

Escrito por rebecca macken | Traduzido por geissy de assis
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Métodos de laboratório para testar os fatores C3 e C4 do sistema complemento
Testes de laboratórios são usados para examinar os níveis de proteínas encontrados no sistema complemento do corpo, conhecidas como C3 e C4, que ajudam a destruir patogênicos e infecções (Comstock/Comstock/Getty Images)

Os fatores do complemento C3 e C4 são duas das mais de 20 proteínas moleculares contidas no sistema complemento do corpo. Esse sistema é ativado por uma resposta imunitária que provoca um efeito de cascata, fazendo as proteínas serem acionadas e trabalharem para eliminar agentes patogênicos e infecções. Níveis anormais ou baixos dessas proteínas devido a fatores de risco genéticos ou físicos podem causar o mau funcionamento do sistema complemento. Técnicos de laboratório pode usar vários testes para monitorar os níveis e o comportamento das proteínas C3 e C4.

Por que fazer os testes?

Testes que examinam os níveis de proteínas do complemento podem identificar uma variedade de desordens, incluindo doenças autoimunes como nefrite lúpica, lúpus eritematoso sistêmico e angioedema hereditária. Todos os três distúrbios são identificados através da diminuição da função do C3 e C4. Doenças como cirrose, septicemia, malária e hepatite também são conhecidas por diminuírem a função dos dois, enquanto o câncer e a colite ulcerosa são indicados no aumento da função das proteínas. Testes de C3 e C4 podem ajudar a identificar estas doenças e, em alguns casos, a monitorar o tratamento.

Testando o sistema complemento inteiro

Problemas iniciais com o nível e o funcionamento de C3 e C4 podem ser identificados com base na triagem do sistema complemento inteiro, conhecido como o exame do CH50, complemento hemolítico total, ou titulação inteira do complemento. Tal teste pode identificar se o problema que está causando os sintomas do paciente se encontra no sistema complemento. Se o teste mostra os níveis de atividade anormais, mais testes individuais podem ser feitos.

Teste do C3

Um simples exame de sangue é realizado para determinar o nível e o funcionamento de C3 no corpo. Dependendo da doença, o técnico de laboratório pode querer testar outros fluidos tais como o das articulações, que pode ser um indicador mais preciso da função do complemento em partes específicas do corpo. O nível normal de C3 é de 75 a 135 miligramas por decilitro.

Teste do C4

A proteína C4 está intimamente relacionada com a proteína C3, agindo como o próximo passo na sequência de reações que caracteriza o funcionamento do sistema complemento. A extração da proteína a partir do sangue ou do fluido das articulações permite que os técnicos meçam o nível de C4. Níveis de C4 devem variar de 12 mg por decilitro a 72 mg por decilitro em homens e 13 mg por decilitro a 75 miligramas por decilitro em mulheres.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível