Os perigos das castanhas-do-pará

Escrito por pedro santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os perigos das castanhas-do-pará
Uma castanha-do-pará possui fontes de vitaminas, proteínas e selênio (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

O consumo das saborosas castanhas-do-pará era estimulado como medida de saúde para nosso organismo. No entanto, estudos recentes asseguram que pode ser tóxica. Tudo depende da quantidade ingerida. Fruto da castanheira, planta nativa da Floresta Amazônica, possui uma série de nutrientes como as vitaminas B e E, fibras, proteínas e ácidos graxos. Entre os benefícios, estão o combate ao envelhecimento, a melhora do sistema imunológico como um todo e a capacidade de evitar o surgimento de doenças como o Alzheimer. A castanha, alimento da família das oleaginosas, deve ser consumida com moderação.

Outras pessoas estão lendo

O Selênio

Presente nas castanhas-do-pará, o selênio é uma substância capaz de produzir benefícios e malefícios em nosso organismo. Consumido com moderação, o selênio é um aliado da boa saúde. Trata-se de um mineral com grande poder antioxidante. É facilmente armazenado em nossos ossos, músculos, fígados e rins. Ajuda a melhorar nosso sistema imunológico, preserva as células, diminui o risco de diversas doenças e contribui para desintoxicar o organismo de metais pesados. A dose diária de apenas uma castanha-do-pará já é responsável pelo aumento de 65% do teor de selênio no sangue.

Os perigos das castanhas-do-pará
O selênio (Se na tabela periódica) é um mineral de grande poder oxidante (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Transformação em toxicina

Recentemente, uma série de estudos tem sido feitos no Brasil e no exterior para observar os eventuais perigos da castanha-do-pará. De acordo com estudos do Laboratório de Minerais da Universidade de São Paulo (USP), um adulto deve consumir pelo menos 55 microgramas de selênio por dia. Esse valor não deve ultrapassar 400 microgramas diários. Para se ter uma ideia, uma única castanha-do-pará possui cerca de 200 microgramas de selênio. Isso significa que, consumindo muitas castanhas, nosso organismo registrará uma dose excessiva desse mineral. Quando o selênio em excesso age como toxina (já com cerca de 800 microgramas) em nosso corpo, começam os problemas de saúde.

Os perigos das castanhas-do-pará
Quando consumidas em excesso, as castanhas podem fazer muito mal ao organismo (John Foxx/Stockbyte/Getty Images)

Sintomas

Com o selênio agindo em quantidade ideal (o que é possível obter ingerindo uma castanha-do-pará por dia), as enzimas de nosso corpo trabalham de forma adequada, fortalecendo as células como um todo. Em excesso, provoca os primeiros sintomas de intoxicação. É sinal de toxicidade o mau hálito, o cansaço repentino e a fraqueza. Sintomas auxiliares, que podem ocorrer em menor grau, são: irritação, alterações no sistema nervoso, no sistema gastrointestinal e cabelos frágeis.

Os perigos das castanhas-do-pará
As castanhas em excesso provocam sintomas de intoxicação (Stockbyte/Stockbyte/Getty Images)

Tratamento

Em casos de intoxicação por selênio, a primeira medida para tratamento é cortar a absorção. Além da castanha, o selênio pode ser encontrado em menor proporção em alimentos como farinha de trigo e pão francês. Em seguida, vale procurar ajuda profissional caso os sintomas estejam presentes por mais de um dia. Dependendo do caso, o médico ou nutricionista pode administrar remédios que combatam os sintomas e que ao mesmo tempo sirvam como antídotos para sua eliminação.

Os perigos das castanhas-do-pará
O tratamento para a intoxicação envolve remédios que servem como antídotos (Digital Vision./Digital Vision/Getty Images)

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível