Princípios da indução e da dedução

Escrito por theon weber | Traduzido por randhal wendel
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Princípios da indução e da dedução
Os economistas usam tanto a dedução quanto a indução para medir e explicar os fenômenos (The girl a magnifier a hat image by Hunta from Fotolia.com)

A indução e a dedução são duas formas de buscar o conhecimento através da lógica. São um par de ferramentas poderosas e antigas atualmente aplicadas a todos os ramos da ciência. Na economia, os pesquisadores geralmente não têm controle experimental sobre seus dados apreciados por cientistas de outros campos, por isso, não podem realizar sempre deduções ou induções lógicas estritas, mas os métodos ainda são aplicáveis ​​e úteis.

Outras pessoas estão lendo

Indução

A indução é o princípio padrão pelo qual as ciências trabalham. Um pensador indutivo observa e registra um conjunto de fenômenos e então constrói uma teoria sobre o que a lei natural desses fenômenos revela, depois projeta testes experimentais para ver se outros fenômenos observáveis ​​confirmam sua teoria. Por exemplo, um economista pode observar que um vendedor de maçãs que elevou os preços de suas maçãs de 50 centavos para 1 real passou a vender menos do que antes, e induz que há uma conexão direta entre o aumento de preços e a redução das vendas.

Dedução

A dedução -- que significa "levar longe" -- é o método pelo qual um pensador descreve fenômenos com base em um conjunto de premissas que ele já conhece. Por exemplo, se um pensador acredita que os preços mais altos são diretamente proporcionais à redução de vendas, ele pode deduzir que dobrar o preço de uma maçã irá reduzir as vendas pela metade. A dedução lógica estrita requer que o pensador expresse suas premissas por meio de um modelo matemático, pois isso faz com que as conclusões sejam mais fáceis e mais precisas.

Indução hipotética e dedução indutiva

Na economia, a indução e a dedução clássicas estritas muitas vezes são impossíveis -- ou pelo menos proibitivamente difíceis -- devido à complexidade e ao mistério dos sistemas em observação. Por isso, os economistas muitas vezes realizam induções hipotéticas, em que um pensador deriva premissas a partir de observações, presumindo outras premissas mais simplistas. Por exemplo, eles geralmente concluem que todos os participantes de um sistema econômico agem de modo perfeitamente racional. Isso não é obviamente verdadeiro, mas simplifica o sistema e permite induções úteis, apesar da inverdade. Da mesma forma, a dedução intuitiva libera o pensador da necessidade de um modelo matemático e lhe permite deduzir as implicações de premissas subjetivamente usando sua própria lógica e bom senso.

Aplicações na economia

O uso intensivo de estratégias intuitivas e hipotéticas na economia significa que as teorias econômicas não são necessariamente científicas no sentido estrito das teorias das ciências naturais. No entanto, os princípios gerais de indução e dedução antecedem o método científico e o estabelecimento de regras matemáticas pela lógica, e apesar das simplificações e suposições necessárias na economia, ainda são capazes de produzir muitos resultados extremamente úteis.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível