Problemas causados ​​pelo uso do óleo errado em um carro

Escrito por richard rowe | Traduzido por gisel soto
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

"É mais do que apenas óleo. É engenharia líquida". Este pequeno trecho não é apenas um slogan da Castrol, ele resume o propósito e os princípios por trás do óleo para motor. O óleo não é apenas uma substância escorregadia, que mantém as coisas lisas. É pelo menos tão complexo e vital para o motor, como o sangue é para o corpo humano. Usar o tipo errado de óleo pode não resultar em um desastre imediato, mas os fabricantes são geralmente muito bons em saber o que é melhor para os motores de seus veículos.

Outras pessoas estão lendo

Extremos

Há três fatores que definem um tipo de óleo: sua viscosidade, ou "peso", a sua composição (regular ou sintética) e os aditivos que ele contém. Cada um desses três fatores definem como se comporta o óleo em seu motor, o que protege, quando ele funciona melhor, e que tipo de abuso pode suportar. Os fabricantes desenham motores com critérios de desempenho específicos, e não há nenhum exagero em dizer que, em muitos casos, eles projetam o motor de acordo com o óleo que vai utilizar.

Viscosidade

Um óleo de peso maior é mais espesso do que um óleo de baixo peso. Por exemplo, um carro médio pode usar um 30 W, bastante fino, enquanto as cadeias e caixas de câmbio vão usar um tipo de 90 W, muito grosso. Esta classificação é crítica, pois o óleo dilui com o calor causado pela fricção ou por condições ambientais, e os óleos finos não protegem tanto quanto os óleos espessos. A maioria dos óleos no mercado são de vários tipos de viscosidade, o que significa que eles contêm aditivos que os tornam mais finos para baixas temperaturas, e mais espessos para altas temperaturas. Um exemplo seria um 5W-30, que é tão fino quanto um 5 W quando está frio, mas mantém a viscosidade de um 30 W quando está quente.

Consequências da mudança de viscosidade

A utilização de um óleo espesso geralmente protege melhor o motor, mas também reduz a economia de combustível e os cavalos de potência, e aumenta a dificuldade de dar a partida em temperaturas baixas. Usar um óleo mais fino é mais arriscado, pois isso diminui a proteção para os rolamentos, mas terá um melhor desempenho em baixas temperaturas, além de aumentar a economia do combustível e a potência.

Óleo sintético e regular

A maioria dos produtos no mercado não são completamente sintéticos. Em vez disso, usam uma mistura cerca de 80/20 de óleo mineral de alta qualidade e moléculas sintéticas. Isso pode não parecer muito, mas as moléculas sintéticas presentes são muito "maiores" e "mais suaves", em um nível molecular, que as moléculas do óleo mineral. Isso significa que eles vão suportar o peso de tensões de cisalhamento do motor, e vão ajudar para que o óleo mineral dure mais tempo e se desenvolva melhor.

Consequências da alteração do tipo de óleo

Não é uma má ideia usar um óleo completamente sintético em qualquer motor, mas usar um natural em um motor que exige sintético trará problemas. Casos como este são exemplos de um motor projetado para o óleo que utiliza, e se o fabricante recomenda, é porque o motor precisa desse tipo de óleo. Os motores turbo sempre durarão mais tempo com óleo sintético, e podem "fritar" completamente sem ele. Alguns motores, como o inicial V-6 2,7 L da Chrysler, não precisa especificamente de óleo sintético, mas, sem ele, acabará falhando.

Aditivos no óleo

A maioria dos motores à gasolina não precisa de um óleo com um determinado tipo de aditivo, mas os motores a diesel e os sistemas de transmissões, sim. O óleo diesel contém um número de detergentes e agentes tamponantes, para ajudar a lidar com a fuligem e outros detritos produzidos pelo processo de combustão diesel. Usar um óleo diesel em um motor à gasolina, vai deixá-lo quase tão limpo como quando ele deixou o show-room, o que o torna perfeito para a lavagem antes de mudar para um sintético, mas não é adequado para o uso prolongado em motores a gás. Se for limpar o motor, use o óleo diesel por 800 km, lave em seguida, e substitua com sintético. Se você utilizar mais do que isso, corre o risco de estragar os rolamentos. Nunca use um óleo de gasolina em um diesel, ele vai se consumir rapidamente, transformar-se em lama e destruir o seu motor.

Fluido de transmissão

O fluido de transmissão é uma variação do óleo de motor, mas é muito mais fino e contém mais modificadores de fricção e detergentes que o diesel. Os mecânicos mais antigos, muitas vezes, deixam um quarto de Dextron III dentro do motor cerca de 80 km antes de sua mudança de óleo anual, para dissolver a lama e limpar o motor.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível