Procedimentos para auditoria de ativos fixos

Escrito por kendra james | Traduzido por elia regina previato
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Procedimentos para auditoria de ativos fixos
A revisão da documentação subjacente é um dos vários procedimentos utilizados na realização de uma auditoria (financial report image by PaulPaladin from Fotolia.com)

As auditorias são realizadas para fornecer razoável segurança de que as demonstrações financeiras de uma entidade sejam adequadamente apresentadas e em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos. Para obter esta garantia, os auditores examinam os saldos das contas. O saldo do ativo fixo, que lida com os ativos que não podem ser facilmente convertidos em dinheiro, é um saldo comum nas demonstrações financeiras de uma entidade e é auditado através de procedimentos que confirmam a existência e valorização relatados no balanço.

Outras pessoas estão lendo

Reunir evidências

O cliente do auditor, ou o auditado, fornece-lhe uma lista detalhada dos itens incluídos nas contas do ativo imobilizado. A lista detalhada, ou um cronograma de depreciação, inclui uma descrição do bem, o custo original, o método de depreciação, os lançamentos relativos à vida útil e à depreciação atual e de anos anteriores. O auditor revisa a lista de razoabilidade e determina se o saldo da conta nas demonstrações financeiras corresponde ao cronograma de depreciação.

Desempenho analítico

De acordo com órgãos de regulamentação da categoria, os procedimentos analíticos abrangem a investigação de flutuações e relações identificadas que sejam inconsistentes com outras informações relevantes ou se afastarem significativamente das quantidades previstas. Por exemplo, os auditores comparam o saldo atual do balanço ao do ano anterior e determinam se a diferença é razoável. A proporção das demonstrações financeiras, tais como "despesa de depreciação como uma porcentagem de ativos fixos", é também considerada um analítico. O auditor acompanha índices por um período de três a cinco anos e avalia os que produzem variações inesperadas.

Análise da documentação

Analise as faturas para determinar se o cliente registrou corretamente os custos de aquisição e alienações de ativos. Para testar a existência de ativos fixos, o auditor seleciona uma amostra de itens e correlaciona os detalhes da fatura com os do cronograma de depreciação. Ao rever ou atestar as faturas o auditor verifica a data da compra, a descrição do bem e outros custos incorridos para colocar o ativo em serviço. Além disso, um auditor analisa as perdas e ganhos para determinar se as disposições foram registradas corretamente.

Averiguação e observação

O auditor pergunta ao cliente a localização de ativo imobilizado e quaisquer alterações no valor dos ativos existentes. A resposta obtida o ajuda a determinar quais ativos fixos selecionar para observação física. Ao observar um ativo, o auditor determina que ele existe e que sua condição é comparável à vida remanescente listada no cronograma de depreciação.

Recálculo

De acordo com os órgão reguladores da categoria contábil, o recálculo consiste na verificação da exatidão matemática de documentos e registros. O auditor seleciona uma amostra de itens da lista de ativos fixos e recalcula as despesas de depreciação anterior e atual, determinando se os valores estão corretos e registra os ajustes necessários.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível