Mais
×

Quais eram as funções das grandes muralhas dos castelos?

Atualizado em 17 abril, 2017

A idade média era uma época violenta. Existia pouquíssima segurança contra animais selvagens ou contra pessoas que queriam causar danos. Castelos não serviam apenas como residências para a nobreza, mas também serviam como fortalezas. Um castelo também era como o centro da cidade. Era nessa região que as pessoas das áreas ao redor poderiam ir para negociar mercadorias ou conseguir realizar trabalhos, como do tipo de alvenaria ou metalurgia.

O nome para uma grande muralha de um castelo é a cortina de parede (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

Castelos motte e bailey

Dois tipos de castelos eram usados na idade média. Os castelos motte e bailey foram desenvolvidos inicialmente na França. Eram originalmente feitos de madeira, mas o material foi trocado para pedra, quando percebeu-se que as madeiras não eram seguras. O motte era um monte de terra onde a fortaleza do castelo era construída, enquanto o bailey constituía na terra ao redor do motte onde os abastecimentos eram armazenados e onde as barracas eram montadas. Utilizando o serviço de muitos trabalhadores e construindo nas terras mais altas disponíveis, os castelos motte e bailey eram usados pelos normandos, para ajudar a controlar os servos, enquanto tentavam conquistar a Grã-Bretanha.

Castelos concêntricos

Esse tipo era conhecido como os castelos dentro de castelos. A fortaleza principal era redonda, com muitas paredes e pontes levadiças, para protegê-lo. Imagine um alvo de um arco e flecha: a fortaleza seria o alvo central, enquanto os anéis ao redor seriam as diversas paredes que o mantêm em segurança. As paredes internas possuíam diversas alturas e profundidades, conforme aprofundava-se no castelo. Esse tipo de castelo era usado regularmente após o Rei Edward I da Inglaterra descobriu que esse tipo era mais difícil de ser atacado do que os tipos de castelos motte e bailey originais.

A cortina de parede

A cortina de parede é o nome da grande muralha que circunda toda o castelo. Possuía de 1,8 m a 6 m de espessura e 13,7 m de altura. A ponte levadiça era conectada nela e constituía no único caminho para entrar no castelo, pelo lado externo. Torres, chamadas de bastiões, eram localizadas nas bordas das casas de armas e soldados. Os castelos concêntricos possuíam mais de uma cortina de parede dentro da parede mais externa.

Usos da cortina de parede

A defesa era a principal razão para se levantar a cortina de parede. Ela era patrulhada por guardas e -- com 13,7 m de altura -- não era fácil passar sobre ela. Sua altura também tornava fácil a visualização dos inimigos invasores em seu caminho. Os soldados usavam os bastiões e as barracas rudimentares, quando estavam de guarda. Existiam dispositivos especiais nas cortinas de parede, chamadas de seteiras e buracos de assassinato. As seteiras eram utilizadas para disparar flechas para fora e os buracos de assassinato eram buracos no topo da parede, onde era possível derramar óleo ou água quente, para defender o castelo de invasores.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article