Semelhanças na educação de atenienses e espartanos

Escrito por deborah cater | Traduzido por carolina pires
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Semelhanças na educação de atenienses e espartanos
Busto de Platão, filósofo e educador ateniense (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

As cidades-estado de Atenas e Esparta estavam no ápice de seus poderes durante o século V a.C. e foram tanto aliados como inimigos durante esse período. Elas eram fisicamente próximas, mas tinham visões diferentes sobre governo, aspectos militares e papéis femininos. Os atenienses eram conhecidos por sua arte e cultura, enquanto os espartanos foram famosos por suas proezas militares. Suas visões gerais sobre educação eram bem diferentes, mas tinham algumas semelhanças.

Outras pessoas estão lendo

A necessidade da educação

Tanto espartanos como atenienses acreditavam na necessidade de alguma forma de educação para a construção de uma cidade-estado forte. Ambos os estados educavam seus homens jovens em Atenas desde os 5 anos de idade, e em Esparta desde os 7. No entanto, o papel e o propósito da educação eram bem diferentes. Em Esparta, o papel da educação era produzir uma força militar disciplinada e saudável, com cidadãos-soldados. Em Atenas, o objetivo era proporcionar cidadãos treinados tanto para a guerra quanto para a paz, e tinha um foco nas artes.

Educação física

Tanto Atenas como Esparta viam a necessidade da educação física de uma forma ou de outra. Os atenienses, especialmente Platão, acreditavam na necessidade da educação física para atingir uma mente e um corpo que estivessem em harmonia e fossem rítmicos. Para esse fim, a educação física dos garotos atenienses variava em correr, pular, lutar, dança e calistenia. A graciosidade era tão importante quanto o poder. Para os espartanos, a educação física era fortemente focada no aspecto militar e era bem mais severa do que a forma ateniense, incluindo natação e caça. Garotas espartanas também eram educadas em questões físicas, como lutas.

Treinamento militar

Atenas pode ter tido uma inclinação mais cultural na educação que proporcionava a seus filhos, mas não ignorou o aspecto militar. Desde os 18 anos de idade, era esperado que os garotos se comprometessem a dois anos de treinamento militar; o mesmo não era válido para garotas. Em Esparta, garotos também entravam no treinamento militar aos 18 e eram cadetes por dois anos antes de entrar na força militar do estado aos 20. Diferentemente de Atenas, as garotas espartanas também entravam em treinamentos de combate. A educação física dos garotos de Esparta era bem rígida, incluindo marchar sem sapatos e ter que cuidar de si mesmos na forragem de comida. Essa educação os colocava em bom preparo para o treinamento militar.

Leitura e escrita

Esparta não era conhecida por sua cultura educacional ou artística, tendo seu foco de educação baseado firmemente em atividades militares. As garotas eram educadas também em leitura e escrita em Esparta, enquanto as mulheres de Atenas não eram privadas de uma educação. Em Atenas, os garotos eram educados na leitura e na escrita desde os 5 anos de idade, complementados com disciplinas como matemática, música e poesia. Sua educação poderia ser continuada na academia em disciplinas como filosofia, retórica e ética.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível