Razões para a fadiga extrema

Escrito por tammy dray | Traduzido por aline ferreira
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Razões para a fadiga extrema
Estar cansado às vezes é normal, mas, se for frequente, algo pode estar errado (filip schneider)

Enquanto estar cansado ou mesmo fadigado vez ou outra seja bastante normal, a fraqueza que interfere na vida diária é frequentemente um sinal de que algo está errado. Seja uma doença séria, uma deficiência de nutrientes ou um problema psicológico, a fadiga extrema justifica uma consulta médica, acompanhamento e tratamento.

Outras pessoas estão lendo

Anemia

Baixa quantidade de ferro no sangue é uma causa comum de fadiga extrema que pode ser facilmente resolvida com suplementos. As pessoas com deficiências de ferro, algumas vezes, se alimentam de forma saudável, mas têm uma alergia a trigo ou outro problema que dificulta a absorção de ferro. Indivíduos com anemia frequentemente têm problemas com exercícios, já que a doença causa a diminuição do fluxo de oxigênio para o coração e leva à dificuldade de respiração, tontura e batimento cardíaco acelerado.

Depressão

Problemas emocionais extremos, estresse agravado e circunstâncias como um divórcio ou morte de um ente querido pode resultar em depressão. Enquanto estar triste é relativamente normal, um sentimento que persista por mais do que algumas semanas pode indicar que aquela pessoa sofre de depressão clínica. Os sinais de depressão incluem letargia, cansaço extremo, fadiga (física e mental), dificuldade de concentração e problemas de memória. Indivíduos com depressão frequentemente têm problemas com a realização de tarefas outrora simples, como subir escadas ou limpar a casa. Eles também dormem muito mais do que o normal, mas ainda se sentem cansados e preguiçosos quando levantam.

Leucemia

Um dos primeiros sintomas da leucemia e um dos mais fáceis de reconhecer é a fadiga extrema. Ela aparece nos pacientes não só como incapacidade de realizar tarefas diárias, mas também como dificuldade de concentração, sonolência e fraqueza constantes. Uma vez que o tratamento da doença tenha começado, a fadiga normalmente piora, já que a quimioterapia e a terapia de radiação enfraquecem o corpo.

Dieta pobre

Uma dieta pobre em certos grupos (como os planos de baixo carboidratos e os de alta proteína) podem resultar em fadiga extrema, pois o corpo tenta se ajustar à falta de nutrientes. Por outro lado, uma dieta com altas doses de açúcar e carboidratos também pode causar fadiga extrema, já que causam picos de glicose, seguidos de uma queda rápida, com sintomas como tontura, mal humor e visão turva. Indivíduos que não comem frutas e vegetais também sofrem de falta de energia, porque várias vitaminas e minerais podem ser encontrados apenas nesses alimentos. Os vegetarianos têm propensão a sofrer de deficiência de vitamina B12, um dos nutrientes mais importantes para a energia corporal. Na realidade, a vitamina B12 é o tratamento mais comum para a síndrome da fadiga crônica.

HIV

A fadiga é um problema comum para portadores de HIV e um problema maior ainda para quem tem AIDS. Certos fatores contribuem para a fadiga extrema relacionada ao HIV, como insônia, depressão e o uso de certos remédios, incluindo alguns dos coquetéis usados para tratar o HIV. O tratamento mais comum é a medicação, que inclui antidepressivos como o Wellbutrin e drogas que aumentem a produção de células sanguíneas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível