Mais
×

Religiões que não permitem que os homens cortem o cabelo

Atualizado em 17 abril, 2017

Para a maioria das pessoas, o cabelo é apenas aparência externa. Milhões de dólares são gastos todos os anos em produtos e salões. Mas existem poucas religiões que acreditam que o cabelo tem um significado espiritual mais profundo e incluem a prática de não cortar o cabelo dentre suas práticas religiosas. Alguns homens religiosos não cortam seus cabelos como um símbolo de devoção.

Homens siques usam turbantes que cobrem seus cabelos sem cortar (turban image by Kai Koehler from Fotolia.com)

Siquismo

Siquismo é uma filosofia religiosa antiga baseada nos ensinamentos do guru Nanek Dev e de seus dez sucessores. A maioria dos siques vivem na Índia, mas muitos se mudaram para países do ocidente como os Estados Unidos e o Reino Unido. Dentre as várias práticas religiosas do siquismo, está o Kesh, que é um dos artigos físicos da fé. Kesh é um cabelo longo, sem cortes, que se acredita ser o símbolo de espiritualidade e dedicação às crenças sique. Aos siques é requerido o uso de Dastar ou turbante, para enrolar seu cabelo não cortado em um pano no topo da cabeça. Turbantes são tidos como símbolos de dignidade e são um requerimento para os homens siques. Alguns homens evitam cortar ou aparar pelos faciais além do cabelo.

Nazirites

Um nazirite é um judeu praticante que fez três votos de abstinência: de uvas e seus derivados, de tocar um cadáver e de cortar o cabelo. A doutrina do cabelo sem corte é baseada em uma crença antiga que o cabelo do homem é a sua força vital e não deve ser alterado. Estes votos duram o quanto o nazirite determina, pode ser por 30 dias ou pela vida inteira. Existem poucos nazirites verdadeiros hoje em dia e esta prática não é comum entre os homens judeus.

Rastafári

Com as origens na Jamaica de 1930, o movimento rastafári é uma religião não organizada, baseada na teologia cristã. Apesar da adesão estrita não ser requerida, o cabelo Rasta que não é cortado é penteado ou torcido para formar dreads. O cabelo com dreads deles, longo, é baseado em uma interpretação de passagens do Velho Testamento dos livros de Levíticos e Números, no qual se diz "eles não devem rapar suas cabeças" e "todos os dias do voto da separação, nenhuma navalha deve passar sobre sua cabeça, até todos os dias serem cumpridos." Deixar os dreads crescerem é uma viagem espiritual para os Rastas e eles acreditam que isso ensina paciência. Apesar de muitos rastas usarem dreads, nem todos que usam são rastas. Dreads se tornaram moda entre a população em geral.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article