Mais
×

Qual é o significado de uma linha curva nas artes?

Atualizado em 17 abril, 2017

Nas artes, uma linha é considerada um elemento normal — ou seja, um dos aspectos puramente visuais de um trabalho de arte. Enquanto dois trabalhos diferentes possam ter o mesmo assunto, o tratamento, por parte do artista, dos elementos formais pode radicalmente mudar a maneira que os espectadores vêm cada obra de arte. Artistas podem criar linhas curvas em muitas maneiras diferentes, que resultam em vários significados. Uma linha curva pode ser geométrica, como um arco em um círculo perfeito. Linhas curvas podem também ser "orgânicas," criando linhas e formas irregulares.

Detalhe da Escultura de Aço de Yokohama (Edward Bruns/iStock/Getty Images)

Contorno

Os contornos são linhas que separam formas e cores de outros elementos em uma composição visual. Contornos são geralmente grossos e não variam em espessura — tendo, então, um efeito achatador. Artistas pós-impressionistas como Gauguin usavam contornos com frequência. Eles eram inspirados pelos desenhos japoneses feitos em madeira vendidos na França, e os artistas desejavam a qualidade plana e decorativa desses desenhos em madeira em suas próprias pinturas. Historiadores de arte se referem a esse estilo como cloisonismo.

Merchandising baseado na obra de Gauguin está à venda no Tate Museum, em Londres, Inglaterra (Peter Macdiarmid/Getty Images News/Getty Images)

Linhas de contorno tridimensional

Essas linhas seguem as curvas tri-dimensionais de uma forma: ela fica mais escura onde há sombras e mais clara onde há menos sombra. Pintores procurando criar um efeito tridimensional com frequência usam essas linhas em conjunto com tons escuros e claros, e desenhos com perspectiva realista e precisa. O pintor romântico francês Ingres é considerado um mestre nesse tipo de linha (Ingres é às vezes considerado neoclássico — mas a maioria considera essa designação imprecisa).

"A Apoteose de Homero", do artista francês Jean-Auguste-Dominique-Ingres (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Curvas geométricas

Linhas curvas idênticas (como arcos e partes de círculos perfeitos) são geométricas. Muitos consideram que formas geométricas equilibradas representam racionalidade e a mente intelectual. Pintores neoclássicos, que celebravam as ideias e estética dos gregos antigos, assim como o conhecimento e a razão, compunham suas obras cuidadosamente de acordo com formas geométricas. Por exemplo, temos o tratamento dos arcos na obra "O Juramento de Horácio", de Jacques-Louis David.

"Leônidas contra os Persas", de Jacques-Louis David (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Curvas orgânicas em pinturas abstratas

Muitos artistas do século 20 usam linhas curvas orgânicas para criar formas ambíguas e abstratas. Joan Miró Cute, por exemplo, fez pinturas usando círculos, linhas curvas e planos chatos de cor. A principal característica dessas linhas no trabalho de Miró Cute é que ele desejava que elas fossem multivalentes — capazes de representar muitas coisas diferentes. Elas podem ser partes do corpo, estrelas no universo, ou células microscópicas.

Uma mulher observando "Femme", de Joan Miró (Dan Kitwood/Getty Images News/Getty Images)

Linhas e curvas sugeridas

Artistas nem sempre desenham ou pintam explicitamente uma linha curva. Ao invés disso, eles as sugerem, entre arranjos de formas ou usando figuras para apontar para outras partes da composição. Jacopo Pontormo, por exemplo, em sua pintura "Deposição da Cruz", arranjou figuras e membros para criar uma centrífuga ao redor da imagem central do corpo morto de Jesus e a mão estendida da Virgem Maria. A linha curva sugerida criada ao redor do vazio entre Cristo e Maria significava o estresse e o tumulto do momento que Pontormo retratou.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article