Técnicas de enxertia da árvore de resedá

Escrito por joan norton | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Técnicas de enxertia da árvore de resedá
Usa-se tesoura de poda para cortar ramos de resedá para enxertar (Creatas/Creatas/Getty Images)

A técnica de enxerto em fenda é recomendada para os jardineiros domésticos que desejam tentar a enxertia de uma árvore de resedá ou murta. A casca fina dessa árvore dificulta um pouco a enxertia. Mas obtém-se sucesso quando as camadas celulares sob a casca crescem juntas. É mais frequente a propagação das árvores de resedá por estaquia (cortes do caule) de madeira dura ou macia mergulhada em meio de cultura enraizador.

Outras pessoas estão lendo

Enxertia em fenda

A enxertia é realizada em meados da primavera, quando as árvores começam a crescer. Para isto, é melhor um caule principal ou um broto forte. Essa seção do tronco da árvore é referida como porta-enxerto. Este deve ter um diâmetro de, pelo menos, 2,5 a 5 cm. Faz-se um corte horizontal através do diâmetro da seção do porta-enxerto. Utiliza-se então uma ferramenta para lascar ou um cinzel de madeira para cortar a área central de sua cepa. O ramo de resedá a ser enxertado é colocado dentro da fenda do porta-enxerto.

Enxerto

O ramo da árvore inserido na fenda do porta-enxerto é chamado de enxerto ou cavaleiro. Escolha ramos do tamanho de um lápis de uma variedade desejada de resedá para colocar em um porta-enxerto. Para isto, escolha cultivares vigorosos com altura e padrões de crescimento semelhantes. O ramo de enxerto é modelado até formar uma ponta e colocado na borda do porta-enxerto e nele deverá permanecer na parte de cima a um ângulo de 45 graus.

Camada de câmbio vascular

A fina camada de membrana de células vivas, entre a casca externa e o alburno interno é a camada vascular. O enxerto tem sucesso quando as camadas de câmbio vascular de porta-enxerto e cavaleiro crescem juntas. As árvores de resedá têm casca fina e camadas vasculares. Pode-se então enrolar fita de enxertia em torno do porta-enxerto e do cavaleiro para proteger a camada vascular. A cobertura com cera de enxerto garante a proteção contra ar, água e insetos daninhos.

Verificação do enxerto

Verifica-se periodicamente a área enxertada para detectar sinais de deterioração. O enxerto se torna mais forte e não se dobrará facilmente ao toque. A fita de enxertia é retirada depois de um ano, quando o enxerto já começou a se tornar uma nova árvore. Irrigue a árvore profundamente uma vez por semana para assegurar um sistema radicular forte. Alimente-a com compostagem orgânica anualmente. As árvores de resedá precisam de 17 nutrientes para crescer e vicejar, e todos são disponibilizados na compostagem.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível