Tipos de bordas onde duas placas tectônicas se afastam

Escrito por bill atkinson | Traduzido por daniel tamayo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tipos de bordas onde duas placas tectônicas se afastam
O magma emerge a partir da borda divergente, na cordilheira Dorsal Meso-atlântica (NA/AbleStock.com/Getty Images)

Há três tipos de bordas onde a crosta terrestre interage: divergente, convergente e transformante. O ciclo das rochas da Terra traz o magma derretido nas bordas divergentes e nos pontos quentes através dos vulcões. A partir das bordas divergentes, onde duas placas se afastam, a crosta oceânica se afasta em direção à crosta continental. A crosta oceânica sofre subducção, ou move-se para baixo, da crosta continental e é forçada para o manto, onde ela derrete, completando o ciclo.

Outras pessoas estão lendo

Placas tectônicas e a convecção no manto

As crostas oceânicas e continentais estão movendo-se constantemente através da superfície da Terra, potencializadas pelas correntes de convecção massivas do magma derretido do planeta. Onde essas correntes vão para cima, elas separam-se a direita e esquerda, criando uma borda divergente. A cordilheira Dorsal Meso-atlântica é o melhor exemplo de borda divergente, onde a crosta oceânica é formada e desliza em direção ou às Américas, ou a Europa e Ásia.

Ciclo das rochas

O ciclo da rocha começa na rocha ígnea gerada nas bordas divergentes. Enquanto isso, tanto no oceano quanto no continente, a rocha sofre intemperismo e os sedimentos são transportados e depositados em camadas. Essas camadas se compactam e formam rochas sedimentares. Tanto as rochas sedimentares quanto as ígneas podem ficar sujeitas à grande pressão e calor, por formação de montanhas e vulcões ou pela subducção da placa oceânica sob a placa continental. O reaquecimento e a pressão criam as rochas metamórficas. Todas elas podem ser levadas novamente ao manto para derreter novamente e reintegrar a corrente massiva do manto.

Mudanças em Pangeia

Durante o período Triássico - 248 a 206 milhões de anos atrás - as placas continentais estavam conectadas em um único super continente chamado Pangeia. A zona de derrame, ou borda divergente, ao longo do que hoje são as Américas, Europa e África, começou a empurrar essas massas continentais e a formar o Oceano Atlântico. Fluxos massivos de magma começaram a arrastar as crostas a leste e oeste, produzindo a atual configuração dos continentes.

Zonas de subducção

A rocha continental, por ser feita basicamente de rocha sedimentar, é mais leve que a crosta oceânica, geralmente formada de basalto. Quando a crosta oceânica originada na zona divergente no meio do Atlântico finalmente chega na zona da crosta continental, ela submerge para baixo da rocha mais leve e vai para o manto. Nessa borda convergente, forma-se uma trincheira e mais além dentro do continente - acima de onde a crosta oceânica começa a ser derretida pelo magma no manto - pode-se formar uma zona vulcânica. Porém, essa crosta oceânica passa a ser parte do manto, derretendo e aquecendo para fluir novamente na zona divergente.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível