Tipos de ciclos de vida de insetos

Escrito por hunter darden | Traduzido por giovana moretti
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Tipos de ciclos de vida de insetos
Os ciclos de vida dos insetos mostram variância extrema (fight of insects image by Eugene Tokarev from Fotolia.com)

Os insetos passam por um processo de metamorfose ao longo de seus ciclos de vida, com mudanças físicas nas cores, formatos e tamanhos. Dependendo do inseto, o processo pode ser completo ou incompleto. A reprodução geralmente ocorre na maioria deles quando os machos fertilizam os ovos das fêmeas. Outros se reproduzem de maneira assexuada, e há outros que manipulam os processos e até trocam de gênero.

Outras pessoas estão lendo

Metamorfose completa

Em metamorfoses completas, o ciclo de vida natural do inseto começa em um ovo. Conforme ele cresce, o ovo se desenvolve em uma larvas que passam pelo processo de desenvolvimento de asas. A próxima fase que produz uma pupa, também conhecida como crisálida, não é notável externamente, mas muita coisa está acontecendo dentro dela. Os órgãos começam a se romper, formando uma substância líquida que serve como fonte de alimento para o inseto que está crescendo. Depois que o ciclo se completa, o inseto adulto está pronto para vir ao mundo. Abelhas, moscas, borboletas e besouros são alguns dos insetos que passam pelo processo de metamorfose completo.

Metamorfose incompleta

A metamorfose incompleta ou simples é uma ocorrência de três fases que é similar ao processo completo, mas sem a fase da pupa. Os insetos começam como ovos e depois se tornam ninfas, com brotos de asas começando a se formar. Neste ponto os insetos parecem adultos; porém, são incapazes de se reproduzir. Depois eles evoluem para a idade adulta completa, prontos para começarem a se alimentar e acasalar. A metamorfose incompleta apresenta alguns conflitos quanto ao fato de que adultos e ninfas competem pela mesma fonte de alimento. Os insetos que se desenvolvem por meio da metamorfose incompleta incluem os gafanhotos, libélulas, baratas e forfículas.

Processos reprodutivos

Em busca de parceiros apropriados, alguns insetos emitem e respondem aos feromônios, substâncias químicas que servem como um poderoso atrativo sexual. Eles também podem ser usados para demarcar limites ou para dar avisos. O comportamento de acasalamento ocorre em várias formas que podem envolver som, visão, cintilação e carícias. O processo versátil pode acontecer no ar, na água ou na terra. Com o acasalamento bem-sucedido, o ciclo de vida do inseto se completa e a nova geração começa novamente.

Alguns insetos evitam a reprodução sexual completamente. Na partenogênese, os ovos são cultivados sem serem fertilizados. Porém, a variedade parece dominar o mundo dos insetos em se tratando de reprodução. Os pulgões usam tanto a reprodução sexual quanto a partenogênese em diferentes épocas do ano, e os rotíferos trocam de gênero, de fêmea para macho, em várias gerações. Algumas espécies de vespas, formigas e abelhas se reproduzem de ambas as formas, com os ovos não-fertilizados geralmente produzindo machos e os ovos fertilizados gerando fêmeas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível