Mais
×

Truques para o cãozinho não sentir muito a falta do dono nas férias

Getty Images

Introdução

Quando a família sai de férias, a maior angústia é pensar como seu cãozinho irá reagir a isso. Sozinho ele não pode ficar, pois precisa receber água e comida, além de cuidados para que o seu lugar de circulação permaneça limpo. As alternativas são deixá-lo na casa de uma pessoa de confiança, num hotel para cães ou trazer algum parente para ficar na sua casa cuidando dele. Essa última opção é a mais indicada pelos veterinários, pois ele estará em seu próprio habitat. Mesmo assim sofrerá com a separação, pois sua memória olfativa o faz lembrar-se dos donos. A ansiedade pode causar sintomas físicos e psicológicos. Veja como amenizar isso.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Possíveis alterações

A saudade dos donos pode causar algumas alterações no comportamento do cãozinho. Uma delas é a perda de apetite, uma espécie de “protesto” logo nos primeiro dias. Geralmente quando a fome aperta, ele acaba procurando a comida. De qualquer forma, é bom deixar o contato do veterinário com a pessoa que ficará responsável por ele para alguma providência necessária, caso isso persista. Também pode acontecer dele fazer as necessidades pela casa, arranhar portas ou começar a roer coisas. Mas a tendência é que depois a situação volte à normalidade.

Chris Amaral/Digital Vision/Getty Images

Baixo-astral

Outra reação que o cachorro pode apresentar é ficar sonolento, principalmente nos primeiros dias. Ele passa longo tempo deitado, de olhinhos fechados, parecendo que está deprimido. O estresse da separação o deixa entediado e faz com que durma por horas. Quando acorda caminha lentamente e sem interesse em nada. Outros se coçam e mordem pela tensão da saudade. A ansiedade pode ainda fazer a imunidade cair, deixando o animal mais frágil, o que facilita crises de alergias e infecções. Quem estiver com ele deve procurar motivá-lo para sair desse estado.

Michael Blann/Digital Vision/Getty Images

Traquinagens

A angústia pela ausência dos donos pode desencadear um espírito destruidor no cãozinho que sempre foi bem educado. Se ele tiver coisas de fácil acesso é provável que “apronte”. Mesmo tendo alguém vigiando, para quem não está pensando em dormir, a noite é ideal para fazer traquinagens. E se torna uma oportunidade para descobrir objetos e coisas que se tansformam em brinquedos interessantíssimos. Papéis rasgados, lixo derrubado, peças roídas são resultados do tédio de seu cãozinho. Antes de sair de férias, cuide para que nada perigoso ou de valor fique ao alcance dele, principalmente seu novo par de sapatos de marca!

Chris Amaral/Digital Vision/Getty Images

Preserve a rotina do bicho

Quem ficar com seu cãozinho deve procurar ajudá-lo a superar essa ansiedade. Uma boa dica é não mudar a rotina dele, mantendo horários de refeições, do passeio diário e brincando um pouco com ele de vez em quando. Quanto menos mudanças ocorrerem, menos estresse sentirá. A água também precisa ser checada para que sempre esteja à disposição do animalzinho. Não esqueça de deixar os brinquedos dele próximos à sua caminha, porque esses objetos também o ajudarão a ficar melhor.

Chris Amaral/Photodisc/Getty Images

Pura diversão

Que tal arrumar atividades para ele se distrair e gastar essa energia de tristeza e ansiedade? Ponha numa caixa de papelão brinquedos e guloseimas, ossinhos de couro, coisas que despertem sua atenção. Coloque brinquedos recheados de petiscos para ele interagir e tentar pegá-los. Isso o motivará a todo instante dar uma busca na caixa, tornando-se um divertimento pra ele. Esconda biscoitos em cantos da casa para que ele se entretenha nessa procura. Vale dar uma ajudazinha no início, conduzindo-o a alguns esconderijos, para que entenda a brincadeira.

Martin Poole/Digital Vision/Getty Images

Mais truques

Além de seus brinquedinhos, outros pequenos detalhes podem melhorar o humor dele. Se o cachorro está acostumado a ter uma casa com a televisão sempre ligada, vale manter essa rotina, com som baixo. Outro recurso que pode funcionar é utilizar sua memória olfativa. Deixe alguma peça de roupa sua próxima à caminha dele para que possa sentir seu cheiro e se acalmar. Isso é um dos truques mais indicados pelos veterinários. Vale experimentar!

BananaStock/BananaStock/Getty Images

De olho nas malas

Mal as malas são colocadas para fora dos armários, ele parece já adivinhar o que vai acontecer. Uns ficam deitados sobre elas, como se quisessem dizer: “Eu também vou”. Outros começam a rodear aquele objeto estranho e com cheiro diferente, onde seu dono está guardando as roupas. A verdade é que ele começa a notar a movimentação fora do normal na casa. O ideal é que as malas sejam arrumadas alguns dias antes deixando-o mais calmo ao perceber que a rotina voltou ao normal. E, na hora de sair, nada de despedidas dramáticas ou excessos de carinho para compensá-lo.

Ryan McVay/Photodisc/Getty Images

Acesso aos espaços

Mesmo que normalmente ele não tenha tanta liberdade de ficar pela casa, uma forma de diminuir sua ansiedade é permitir que transite por algum cômodo, onde o dono geralmente fica por mais tempo, como por exemplo a sala de TV. A pessoa que está com ele pode promover alguma brincadeira ali por alguns minutos. Vale acrescentar também alguma peça de roupa sua. Assim o local ficará perfeito, deixando-o mais calmo e ajudando-o nessa espera pela volta de seus queridos.

BananaStock/BananaStock/Getty Images

Medicamentos

Deixe anotado todos os medicamentos que seu animalzinho toma. E falando em remédios, já existem florais que podem ser prescritos pelo veterinário para ajudar o seu cachorro a suportar melhor a ausência da família. Mas não tente medicá-lo por conta própria. Alguns meses antes da viagem, leve-o para uma consulta e converse sobre isso com o profissional. Esse recurso pode ser válido para aqueles animais muito ansiosos, que costumam até ficar com imunidade baixa, causando outros problemas.

Brand X Pictures/Brand X Pictures/Getty Images

O retorno

Grande parte dos cães que sofrem com a ansiedade da separação pertencem a pessoas ansiosas. Por isso ao sair de férias não demonstre sua aflição, culpa ou tristeza pelo afastamento. Também não faça festa demais. Tente sair da forma mais natural possível. E, ao voltar, a recomendação é que evite chegar caloroso demais, pois enfatizará em seu cão a dor da ausência, condicionando-o a ficar mais ansioso numa próxima vez. Deixe-o voltar à calma e aguarde alguns minutos para depois matar as saudades!