Como interpretar contos

••• Jupiterimages/BananaStock/Getty Images

Interpretar um conto é um empreendimento tão subjetivo quanto objetivo. A objetividade está na aplicação da estrutura da trama ao trabalho, enquanto o que o leitor acrescenta ou lembra da obra é muito subjetivo. A visão de mundo e crenças do autor, bem como do leitor, têm um papel essencial na interpretação da história.

Passo 1

Aplique suas crenças e percepção da vida ao conto que está lendo. Sua estrutura enquanto leitor afeta a análise dos temas, personagens e situações apresentadas em contos. Por exemplo, se você é uma pessoa otimista, sua interpretação da trama também o será.

Passo 2

Photos.com/Photos.com/Getty Images

Analise a visão de mundo do autor buscando dados biográficos a seu respeito. Assim, sua interpretação do trabalho artístico produzido por ele ou ela será facilitada. O autor americano Edgar Allan Poe, por exemplo, escrevia histórias com temas macabros. Sua visão de mundo era afetada por aflições de sua infância (como a morte de sua mãe biológica quando ele não tinha ainda três anos de idade) e sua inclinação ao alcoolismo. Situando suas histórias em sua visão de mundo, o leitor pode relacionar, por exemplo, o vício de Fortunato em "O Barril de Amontillado" com o do próprio autor.

Passo 3

Utilize estruturas de trama tradicionais em sua análise da história. Busque o problema ou conflito inicial e então observe onde e como o autor constrói o suspense e complicações desse problema. O ponto alto da história é o clímax. Frequentemente, uma ação muda a direção da obra. Examine o declínio desse clímax conforme as complicações são resolvidas e, por fim, o conflito inicial solucionado. Nem todos os autores seguem esta estrutura tradicional, é claro.

Passo 4

Tente conectar-se a um ou mais aspectos da história que o ajudem na sua interpretação. Se for um bom jogador de pôquer, pode analisar o conto através de princípios do jogo. Em "A Good Man is Hard to Find", de Flannery O'Connor, uma família faz uma viagem de carro. A mãe do marido sugere que o grupo faça um desvio não planejado para ver uma antiga plantação. Nesse desvio, a família sofre um acidente e encontra alguns fugitivos da prisão. Se você algum dia fez uma viagem de carro com familiares que sugerem desvios de rota, talvez possa se relacionar melhor com a história.

Passo 5

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Solidifique a história que acaba de ler escrevendo um novo final ou fazendo um perfil de uma das personagens em seu diário. Você também pode escrever seus próprios contos e publicá-los em um blog ou um fórum de literatura. Um escritor de contos americano, Raymond Carver, disse que "é possível, em um poema ou conto, escrever sobre objetos e assuntos cotidianos usando linguagem cotidiana, mas precisa, e conferir a esses objetos - uma cadeira, uma cortina, um garfo, uma pedra, um brinco - um poder imenso e surpreendente."

Mais recentes

×