Alcoolismo: hábito apreendido ou hereditário?

Escrito por patrice lesco | Traduzido por camille sampaio
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Alcoolismo: hábito apreendido ou hereditário?
Alcoolismo (alcohol image by dinostock from Fotolia.com)

O alcoolismo é considerado uma doença. As características incluem um desejo consistente por álcool, afastamento quando o mesmo não pode ser consumido, incapacidade de controlar o consumo e uma tolerância aumentada em relação aos efeitos alcoólicos. O alcoolismo é causado tanto por fatores ambientais quanto hereditários, embora nenhum dos dois assegure que uma pessoa se tornará alcoólatra.

Outras pessoas estão lendo

Genética

O Medical News Today afirma que, dos genes estudados, dois tipos demonstraram que há uma conexão genética para o alcoolismo. Os genes são DRD2 e os na região DRD2. O informativo também reporta que muito da pesquisa associada com genes e alcoolismo, entretanto, é inconsistente, porque a concentração geral da pesquisa é apenas no gene DRD2, sem foco nos genes ao redor e que se associam a ele. Além disso, no intuito de os genes se tornarem ativos, eles devem ser expostos a gatilhos ambientais.

Ambiente

O ambiente tem um papel significativo no alcoolismo. Aqueles com predisposição genética são suscetíveis a elementos dentro do ambiente que despertam os genes e desencadeiam o alcoolismo na vida do indivíduo. Elementos como viver em um ambiente em que uma ou mais pessoas bebam constantemente ou em locais estressantes pode levar o indivíduo a começar a beber. Entretanto, as pessoas que não têm a carga genética para alcoolismo também podem ser impactadas pelos fatores ambientais e se tornarem alcoólatras como uma maneira de lidar com suas vidas.

Pais

Pais de alcoólatras podem ou não carregar o gene do alcoolismo e passá-lo para a criança. Entretanto, se o pai da criança abusar do álcool ou outras substâncias, irá expor o filho ao álcool e ensinar um comportamento apreendido, que pode ser passado para a criança. Isso porque, conforme a criança se desenvolve, imita os comportamentos dos adultos em que confia. Quando a criança testemunha um dos pais consumindo álcool, ela geralmente aprende a acreditar que esse comportamento é aceitável e o adota como padrão de comportamento. Além disso, mães que bebem na gravidez correm o risco de parir filhos já viciados em álcool ou que tenham defeitos de nascimento relacionados à bebida, como a Síndrome Alcoólica Fetal.

Hereditariedade

O alcoolismo se mostrou hereditário em muitas famílias. Porém, nem todas as famílias que têm um histórico de alcoolismo possuem os genes para a doença. Um histórico familiar de alcoolismo não garante que todos os membros eventualmente se tornem alcoólatras. Essa herança pode muito ter início com um indivíduo na família que não tenha sido exposto ao álcool.

O alcoolismo entre a população

O MedicineNet.com explica que, devido o alcoolismo ser atribuído tanto à hereditariedade quanto ao comportamento apreendido, é importante compreender quais grupos sociais são os mais afetados pelo alcoolismo. Nos EUA, há cerca de 17 milhões de alcoólatras, e os homens são mais propensos a desenvolverem o hábito do que as mulheres. A população com o maior número de consumidores excessivos de álcool está entre as idades de 18 a 29, enquanto aqueles com idade superior a 65 anos são os menos propensos a abusar da substância. Finalmente, quanto mais jovem um indivíduo começa a ingerir álcool, mais provável é que ele se torne um alcoólatra.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível