Que tipo de animal é o rinoceronte?

Escrito por patrick armstrong | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Que tipo de animal é o rinoceronte?
Rinocerontes pretos ainda vivem na África (Comstock/Comstock/Getty Images)

O rinoceronte já foi encontrado em todos os continentes, exceto a Antártica, e teve seu auge entre 60 milhões e 40 milhões de anos atrás. Durante esse tempo, dezenas de espécies de rinocerontes percorreram a Terra durante a idade dos mamíferos gigantes. Esses animais, juntamente com cavalos e antas, pertencem à ordem decadente Perissodátila. Essa ordem de mamíferos já ostentou centenas de espécies espalhadas em todo o mundo, mas hoje esse número é de apenas dezessete. Ainda existem cinco espécies de rinocerontes ameaçadas e em perigo, restritas a pequenos habitats na África e na Ásia.

Outras pessoas estão lendo

Características comuns

Todos os rinocerontes compartilham muitas características comuns. Todos esses mamíferos se reproduzem muito devagar, com a gestação durando cerca de dezesseis meses e as fêmeas apenas dão à luz uma vez a cada três ou quatro anos. Todas as espécies procuram por vegetação durante o dia, enquanto vagam por seu território, o qual é marcado com cheiros e excrementos. Apenas predadores humanos alarmam os adultos, enquanto os animais mais jovens às vezes sucumbem a hienas ou grandes felinos, como leões e tigres. Todas as espécies possuem um ou dois chifres que variam de tamanho, usados para fins que incluem reprodução, procura por alimentos e para defesa.

Rinoceronte branco

A maior espécie existente (viva) de rinoceronte, o rinoceronte branco pesa entre duas e três toneladas, só perdendo em tamanho para o elefante africano. Existem duas subespécies diferentes, o rinoceronte branco do sul e o do norte. O do norte vivia apenas no Parque Nacional de Garamba, na República Democrática do Congo, até 2008. Depois que caçadores mataram toda a população selvagem, cientistas enviaram quatro dos sete animais sobreviventes a um santuário selvagem no Quênia, onde registros indicam que eles começaram a se reproduzir no início de 2011. O rinoceronte branco do sul possui um sucesso mais considerável, aumentando a população de cerca de vinte, no final de 1800, a cerca de 17 mil atualmente. Essas subespécies vivem em Zimbábue, Namíbia, Botsuana, Suazilândia, Moçambique e África do Sul. Rinocerontes brancos possuem dois chifres e preferem habitats mais abertos, em savanas.

Rinoceronte preto

Aproveitando a maior variedade de todos os rinocerontes, o rinoceronte preto historicamente viveu em muitos locais da África subsaariana. As espécies se adaptam prontamente a muitos tipos diferentes de habitats, do deserto à savana e à floresta. Menores do que os rinocerontes brancos, essa espécie pesa entre três quartos de tonelada e uma tonelada e meia. A caça incessante e a destruição do habitat durante o século XX reduziu a população de 300 mil a cerca de 2.500. A proteção intensa e a administração estabilizou a população selvagem, e o número atual é de aproximadamente 4.200. Além deles, várias centenas de animais vivem em zoológicos em todo o mundo, onde programas de procriação ajudam a manter a espécie.

Rinoceronte indiano

Também chamado de rinoceronte do chifre grande, essa espécie vive no sul da montanha do Himalaia, entre a Índia e o Nepal, embora historicamente tenha vivido também em Paquistão, Bangladesh, Butão e possivelmente ao leste da China. Essa espécie iguala o rinoceronte branco em tamanho, mas tem apenas um chifre. Esses animais preferem ecossistemas úmidos e gramados, encontrados na base dos Himalaias, onde a água que escorre das montanhas alimenta um habitat abundante que também inclui pântanos e florestas úmidas. Os governos indiano e nepalense possuem um papel ativo e considerável na conservação dos rinocerontes indianos, ajudando a espécie a se recuperar de uma baixa de apenas duzentos animais mais de um século atrás para uma população atual de cerca de 2.900.

Rinoceronte de java

Com apenas cerca de cinquenta animais restantes na Terra, o rinoceronte de java enfrenta a provável extinção devido à caça e à perda de habitat. Essas criaturas se assemelham aos rinocerontes pretos em tamanho, mas possuem apenas um chifre. Encontrados em densas florestas tropicais na Indonésia e Vietnã, as poucas dúzias restantes desses animais vivem vidas solitárias, procurando por vegetação e chafurdando na lama. Devido ao seu estilo de vida, acompanhá-los e contar os animais restantes é um grande desafio para pesquisadores. Os esforços para conservação mostram pouco sucesso até agora, com o habitat restante muito limitado, dificuldade de impor proibição de caça e a falta de animais em cativeiro e de programas de procriação.

Rinoceronte de sumatra

Também muito ameaçado, o rinoceronte de sumatra é muito menor do que as outras quatro espécies. Alcançando uma altura de apenas 90 cm a 1,20 metros, essa espécie solitária e nômade percorre uma variedade de habitats em Butão, Tailândia, Birmânia, Malásia e Sumatra. Eles preferem áreas de florestas, mas foram vistos em pântanos, áreas costais e na base das montanhas, confirmando a adaptabilidade da espécie. Eles possuem dois pequenos chifres no focinho. A população geral, atualmente estimada entre 220 e 275, continua a cair devido à caça e à perda de habitat. O rinoceronte de sumatra tolera muito pouco qualquer distúrbio e foge para qualquer área que são seja habitada por pessoas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível