Causas do carcinoma ductal invasivo

Escrito por adam cloe | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • E-mail

O câncer de mama é uma das formas mais comuns de câncer em todo o mundo, especialmente entre as mulheres (embora ele também atinja alguns homens). Uma das formas mais graves de câncer de mama é o carcinoma ductal invasivo, uma vez que pode se espalhar para outras áreas do corpo, fazendo com que as metástases interfiram no funcionamento dos órgãos vitais.

Outras pessoas estão lendo

Precursor do carcinoma ductal invasivo

Antes que o carcinoma ductal invasivo desenvolva, ele começa como uma doença menos perigosa conhecida como carcinoma ductal in situ, em que as glândulas produtoras de leite nos seios tornam-se cancerígenas. No entanto, nessa fase inicial, as células cancerígenas ainda estão restringidas às condutas originais onde começaram e não passam de células em divisão anormal.

Transição para carcinoma ductal invasivo

O maior fator de risco para o desenvolvimento do carcinoma ductal invasivo é o não tratamento do carcinoma ductal in situ. Com o tempo, as células cancerígenas in situ podem desenvolver a capacidade de invadir outros tecidos, o que leva diretamente ao carcinoma ductal invasivo. A melhor maneira de evitar que o primeiro carcinoma se torne invasivo é removê-lo cirurgicamente e tratar o local com radiação.

Genética de carcinoma ductal

Todos os casos de câncer, incluindo o carcinoma ductal, são diferentes. No entanto, o que está na base de todos os casos são as mutações genéticas que se acumulam ao longo do tempo, mudando a natureza da célula. Algumas dessas mutações fazem com que as células se dividam muito rapidamente, enquanto outras impedem a resposta a sinais de crescimento lento. Alguns casos de câncer desenvolvem-se devido a mutações genéticas que fazem outras ocorrerem mais rapidamente, devido à perda de proteínas responsáveis ​​pela reparação do DNA. Uma das características dos cânceres invasivos, tais como o carcinoma ductal invasivo, é a produção de proteínas que permitem que as células rompam o tecido conjuntivo que as mantém no lugar e se expandam para outras áreas do corpo. Embora existam alguns genes hereditários que possam fazer com que alguém seja mais propenso a desenvolver câncer de mama, em última instância essa é uma doença que ocorre ao longo do tempo e pode ser influenciada por muitos fatores.

Fatores de risco genéticos

Como o carcinoma ductal invasivo exige primeiro a presença do carcinoma ductal in situ, tudo o que aumenta o risco dessa doença pode levar ao carcinoma ductal invasivo. Embora os fatores genéticos que causam câncer sejam, de certa forma, aleatórios e não variem, existem alguns fatores de risco que aumentam a probabilidade: idade, certas anormalidades genéticas hereditárias (como mutações incomuns nos genes BRCA 1 e 2) ou histórico familiar de câncer de mama. Além disso, pessoas com tecido mamário excepcionalmente denso são mais propensas a desenvolverem o carcinoma ductal.

Fatores de risco controláveis

Alguns fatores de risco têm mais a ver com o estilo de vida de uma pessoa e, como resultado, pode ser alterado para reduzir o risco de carcinoma ductal invasivo. As mulheres que se tornam mães muito tarde (ou as que não têm filhos) correm um risco maior de desenvolverem carcinomas ductais devido aos hormônios à flor da pele que vêm com o ciclo menstrual. Mulheres que usam pílulas anticoncepcionais ou recebem a terapia de reposição hormonal (após a menopausa) também têm um risco aumentado. O uso de álcool (especialmente em grandes quantidades), obesidade e falta de exercício também aumentam a probabilidade de desenvolvimento de carcinoma ductal invasivo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível