Mais
×

Ciclo de vida do parasita Dicrocoelium dendriticum

Atualizado em 22 julho, 2017

O verme de fígado Dicrocoelium dendriticum é um parasita que aflige o gado e outros mamíferos criados em fazendas ou pastagens. Como muitos outros vermes parasitas na ordem Trematoda, eles possuem diferentes hospedeiros durante seu ciclo de vida, sendo que o último é justamente os animal de pastagem. Embora não seja comum, também é possível que se hospedem nos seres humanos, especificamente pelos dutos biliares. O ciclo de vida desses parasitas possui cinco fases distintas, apesar de o período de incubação ser desconhecido.

Animais de pastagens são suscetíveis aos vermes parasitas (cattle image by Kevin McGrath from Fotolia.com)

Morfologia

Em sua fase adulta eles, têm forma plana, com as extremidades cônicas. Sua dianteira (ou frontal) possui uma ventosa oral pela qual ele se anexa ao hospedeiro. Na parte anterior (ou traseira) estão os órgãos sexuais. Dependendo do hospedeiro, o verme pode estar em forma de ovo, larva, juvenil ou estágio adulto. Em animais de fazenda, só a fase adulta estará presente.

Estágio de ovo

Após os adultos acasalarem, ovos são excretados nas fezes do hospedeiro, como bovinos e caprinos. Esses ovos permanecem nas fezes, até que sejam consumidas por moluscos terrestres, como o caramujo.

Primeiro hospedeiro intermediário

O caramujo então come as fezes infectadas com os ovos do verme. Uma vez consumido, os ovos são "chocados" dentro do caramujo e eclodem em larvas, que nascem no forro intestinal e estômago e se instalam no trato digestivo. Depois disso, eles se desenvolvem até a fase juvenil, onde o sistema imunológico do caramujo cerca o parasita com paredes orgânicas, chamadas de cistos. Esses cistos são excretados pelo caracol em longas trilhas de lodo.

Segundo hospedeiro intermediário

As formigas engolem os cistos durante a utilização do rastro deixado pelo caramujo. Uma vez dentro do trato digestivo da formiga, os indivíduos jovens se espalham pelo corpo da formiga para se desenvolverem em adultos. Um dos vermes migra para o cérebro da formiga e a obriga a se afastar de sua colônia e ficar sobre uma folha de grama. Uma vez no topo da folha, o verme obriga a formiga a apertar as mandíbulas e ficar parada até o amanhecer. Isso cria a oportunidades de elas serem comidas pelos hospedeiros terminais: o gado ou outros animais que pastam.

Hospedeiros terminais

Quando o gado consome a formiga, os vermes entram no seu trato digestivo e fazem o seu caminho até o fígado. Eles vivem o resto de sua vida adulta neste órgão, excretando ovos nas fezes do hospedeiro.

Sintomas e tratamentos

Em animais de fazenda, existem muito poucos sintomas de infecção. O exame diagnóstico envolve a identificação de ovos nas fezes ou a constatação da presença dos vermes no fígado após a morte. A administração simples de drogas antiparasitárias tais como o Mirazid é necessária para tratar a infecção.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article