Cinco benefícios secretos do álcool à saúde

Escrito por pedro santos
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Cinco benefícios secretos do álcool à saúde
Uma taça de vinho pode aumentar em até 16% os índices do bom colesterol (Digital Vision./Photodisc/Getty Images)

Pode trazer aquela cervejinha e ser mais feliz. Desde que seja com moderação, é claro. Pesquisas recentes, produzidas por universidades de ponta em todo o mundo, mostram que o álcool pode trazer grandes benefícios à saúde. Mas para isso, ele deve ser consumido na medida certa, o que varia de acordo com o gênero, tamanho e peso de cada um. Ainda que o alcoolismo seja um grave problema na área da saúde pública, ingerir álcool comedidamente pode ser uma boa forma de evitar diversas doença. Uma taça de vinho tinto, por exemplo, pode aumentar em até 16% os índices do HDL (High Density Lipoproteins), o chamado bom colesterol. Outro benefício foi observado em pessoas idosas que, por consumirem bebidas alcoólicas com parcimônia, estão menos propensas a sofrer doenças cardíacas. Saiba agora quais são os benefícios secretos do álcool à saúde de acordo com as pesquisas mais recentes sobre o assunto.

Outras pessoas estão lendo

Função antioxidante

Apreciado pelas mais diversas civilizações desde o ano 6000 a.C., o vinho apresenta propriedades terapêuticas que podem ser um forte aliado no combate a uma série de doenças. Junto com o resveratrol, elemento químico, o álcool age positivamente em nosso organismo, contribuindo para melhorar a função vascular. Além disso, o álcool presente no vinho, especialmente no tinto, apresenta função oxidante. Isso significa que, a médio e longo prazo, combate o envelhecimento de nossas células. Outro benefício da bebida está ligado aos índices de HDL (High Density Lipoproteins), o chamado bom colesterol. Uma taça, por exemplo, pode aumentar em até 16% os índices do HDL. Mas atenção: especialistas alertam contra o consumo excessivo. A média recomendada é aproximadamente uma taça por dia.

Alivia a glicemia

Um estudo realizado pela Universidade de Barcelona em parceria com o Instituto Carlos III de Madri mostrou que o consumo de cerveja contribui para combater a diabetes. A princípio, os diabéticos devem evitar o consumo de álcool. Mas, desde que seja ingerido em níveis controlados, pode aliviar o índice de glicemia, concentração de glicose, durante as refeições. No estudo, os pesquisadores concluíram que dois a três copos de cerveja por dia atuam diretamente em nosso sistema digestivo. Depois da alimentação, a glicemia no plasma aumenta, nesse sentido, o álcool atua na diminuição desse elemento, fazendo com que os níveis não subam tanto.

Diminui a coagulação do sangue

Quando o álcool está presente na circulação, interfere diretamente nos mecanismos de coagulação do sangue porque diminui a agregação das plaquetas e inibi a liberação de tromboxano A2 (TXA2). Com o sangue menos coagulável, há mais dificuldade para a formação de trombos nas artérias, ou seja, a coagulação de sangue no interior do vasos sanguíneos. Trata-se de mais um elemento que demonstra a relação direta entre o consumo moderado de álcool com a diminuição de doenças cardiovasculares. Em contrapartida, o consumo excessivo do álcool favorece a coagulação rápida e pode levar à hipertensão arterial. Mais uma vez, tudo está relacionado com a quantidade ingerida.

Contra a osteoporose

A osteoporose é um mal que atinge cada vez mais pessoas com o passar dos anos. Especialistas atribuem essa característica à péssima qualidade dos alimentos que consumimos. Refrigerantes, por exemplo, são um dos principais causadores da osteoporose por retirarem o cálcio presente em nossos ossos, tornando-os frágeis. E é aqui que entra a cerveja. Uma das mais prestigiadas instituições de pesquisa dos Estados Unidos, a Universidade da Califórnia, analisou o impacto positivo que a cerveja pode trazer ao organismo desde que consumida moderadamente. Os especialistas constataram que a quantidade de silício, junto com o álcool presente na bebida, ajuda a fortalecer os ossos. Além disso, essa mistura retarda o desgaste natural de nossa estrutura óssea.

Contra a artrite reumatoide

Há evidências concretas de que o álcool ajuda a reduzir a doença. Embora os motivos ainda não sejam claros, pesquisadores da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, constataram que o álcool tem efeito anti-inflamatório e pode evitar infartos. A artrite reumatoide é uma moléstia inflamatória crônica que atinge grande parte das articulações do nosso corpo. No estudo, os cientistas provaram que abstêmios têm pelo menos quatro vezes mais chances de desenvolvê-la do que pessoas que bebam álcool regularmente. Os estudiosos acreditam que isso seja motivado graças aos efeitos analgésicos, além dos anti-inflamatórios do álcool.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível