Componentes da ficção em romances

Escrito por laura lane | Traduzido por vanessa arnaud
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Componentes da ficção em romances
Como outros gêneros da literatura, ficções apresentam muitos temas recorrentes (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

A massiva popularidade de romances fictícios na década passada, como a da série "Harry Potter", de J.K. Rowling, promoveu a renovação do interesse por esse gênero. Clássicos da ficção como a trilogia "O Senhor dos Anéis", de J.R.R. Tolkien, e "O leão, a feiticeira e o guarda-roupa", de C.S. Lewis, foram trazidos à tona com muito sucesso, gerando um interesse novo nessas estórias. Como qualquer outro gênero, romances de ficção muitas vezes utilizam um número de componentes comuns que os tornam populares entre os fãs do estilo.

Outras pessoas estão lendo

Uma realidade alternativa cuidadosamente construída

Apesar do fato de que estórias fictícias criam realidades alternativas ser facilmente notado, é importante perceber que o mundo imaginado pelo autor deve possuir regras cuidadosamente desenvolvidas. Por exemplo, na série "Harry Potter", de J.K. Rowling, é previamente dito que as personagens não podem aparecer ou desaparecer magicamente nos territórios de Hogwarts, e a autora mantém essa regra ao longo da trama. Criar regras para o mundo imaginário ajuda a dar credibilidade ao autor. Como o mundo real possui regras complexas, um universo imaginário também deve apresentar essa complexidade e detalhes para parecer real. Quanto maior a riqueza de detalhes de um ambiente, melhor o leitor tende a aceitar aquilo que, de outra forma, seria tido como impossível. As regras construídas em uma realidade alternativa também podem criar uma tensão que não estaria presente caso elas não existissem. Se uma personagem pode utilizar mágica para escapar de situações de perigo, os leitores nunca terão a oportunidade de se preocupar com ela ou de se encantar com sua ingenuidade ao escapar de um desastre.

Uma missão

Estórias fictícias muitas vezes envolvem uma missão que deve ser cumprida pelo narrador, que frequentemente é um herói pouco típico. Em "O Senhor dos Anéis", de J.R.R. Tolkien, Frodo Baggins, uma figura não totalmente heroica, precisa encontrar a força dentro de si mesmo para destruir o anel. Na série "Harry Potter", de J.K. Rowling, Harry é encarregado de matar Lord Voldemort. Essa missão dá forma e razão para o mundo em que o leitor mergulha e permite que nós vejamos uma personagem comum se tornar um herói.

Antropomorfismos

Muitos romances fictícios apresentam antropomorfismos, que é a prática de atribuir características humanas a animais. Primeira e principalmente, essa prática leva à natureza mágica de um romance fictício. Ela também é utilizada como simbolismo. Um leão é visto como um animal valente, então, quando um leão pode falar em uma estória, nós instintivamente sabemos que devemos respeitar aquilo que diz.

Alegorias

Uma alegoria é uma estória maior que existe escondida sob uma ficção e permite ao autor expressar opiniões sem introduzir diretamente o assunto. É amplamente sabido que "O leão, a feiticeira e o guarda-roupa" é uma alegoria referente às estórias cristãs tradicionais, e já foi sugerido que a série "Harry Potter" de J.K. Rowling também o seja. "O Senhor dos Anéis", de J.R.R. Tolkien, já foi interpretado de diversas formas, desde uma parábola cristã até uma dissertação sobre a polícia estrangeira.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível