Comportamentos comuns de um viciado em metanfetamina

Escrito por tricia goss Google | Traduzido por débora sousa
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Comportamentos comuns de um viciado em metanfetamina
Comportamentos comuns de um viciado em metanfetamina (www.sxc.hu/profile/Shenky)

O uso da metanfetamina atingiu níveis epidêmicos. De acordo com uma pesquisa americana, pelo menos três quartos de todos os usuários de metanfetamina estão empregados. À primeira vista, um usuário pode não parecer com a imagem de um "viciado" em sua mente. Muitos usuários misturam a droga em seu café da manhã antes de correr para o trabalho. Os recursos humanos e os gestores devem estar alertas e atentos caso suspeitem que um funcionário esteja usando metanfetamina.

Outras pessoas estão lendo

História

Embora a dependência da metanfetamina tenha se tornado uma preocupação dominante apenas nas últimas décadas, a droga existe por muito mais tempo. Fabricada pela primeira vez na Alemanha no final de 1800, ela foi usada como uma potencial cura para muitas doenças e distúrbios, como depressão e asma. Durante a Segunda Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã, os soldados consumiam a droga para ganhar resistência. Os médicos prescreviam anfetaminas para as mulheres nos anos 1950 e 1960 para aumentar a perda de peso. A droga, barata e fácil de fazer, agora é mais potente do que nunca.

Tipos

A metanfetamina pode ser encontrada na forma de pó ou pedaços que se parecem com pequenas pedras. A droga pode ter uma cor acastanhada, avermelhada, branca, amarela ou pode mesmo ser incolor. Isso depende de quais produtos químicos e outros ingredientes foram utilizados ao fabricar o lote específico. Existem diferentes maneiras utilizadas pelos usuários de metanfetamina para ingerir a droga. Alguns a fumam, usando itens como tubos caseiros ou mesmo papel alumínio. Outros injetam com uma seringa. Por vezes, os usuários de metanfetamina cheiram, comem ou misturam o pó moído em uma bebida.

Identificação

Há certos comportamentos para observar se você suspeita que um empregado esteja viciado ou até mesmo esteja usando metanfetamina casualmente. Os usuários podem apresentar todos ou nenhum desses comportamentos. Geralmente, é comum uma rápida perda de peso e uma aparência magra. A pessoa pode estar nervosa e ansiosa, sombria e propensa a explosões de raiva ou mania. Movimento rápido dos olhos e movimentos estranhos, rápidos e desengonçados do corpo também são típicos. Eles podem ter feridas abertas ou outros problemas de pele no rosto e nos braços, bem como problemas dentários. Os usuários também tendem a ter um estranho odor químico no corpo.

Equívocos

Embora o consumo de metanfetamina tenha se tornado um problema comum, ainda existem vários mitos e equívocos sobre a droga. Ela não é a substância mais consumida no Brasil nem nos Estados Unidos, e sim o álcool. O consumo de metanfetamina na adolescência não está subindo. Na verdade, ele começou a cair. Infelizmente, em vez disso, o governo prevê um aumento no consumo de heroína na adolescência. Provavelmente, o equívoco mais promissor sobre o uso de metanfetamina é que os viciados não respondem bem ao tratamento. Vários programas de recuperação agora possuem uma taxa de recuperação de 60% a 90%.

Prevenção e solução

As empresas devem implementar uma política por escrito de que não é permitido o uso de drogas e treinar seus funcionários sobre os efeitos e sinais do consumo. É recomendado usar testes prontos de drogas, e você também pode optar por exigir um exame toxicológico de todos os funcionários periodicamente. Encoraje os membros da equipe a avisarem a administração se suspeitarem que algum colega esteja usando drogas, oferecendo completo anonimato. Ofereça programas de assistência ao funcionário em seu pacote de benefícios, incluindo aconselhamento acessível e outras opções de saúde comportamental.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível