A composição do rayon em porcentagem

Escrito por catherine hudgins | Traduzido por mayra chibante
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A composição do rayon em porcentagem
Lave a seco ou manualmente as roupas de rayon, evitando o encolhimento (Ciaran Griffin/Stockbyte/Getty Images)

Quando a indústria francesa de seda estava com sua produção ameaçada em meados do século 19, cientistas foram inspirados a desenvolver, com sucesso, a seda artificial. Em 1884, o French Count de Chardonnay patenteou o processo que viabilizou o uso de celulose regenerada e a fabricação das primeiras fibras artificiais (apesar de altamente inflamáveis) começou em 1889. Logo em 1891, os químicos ingleses C.F. Croos, E.J Bevan e Clayton Beadle descobriram uma forma mais segura de rayon, envolvendo a viscose.

Outras pessoas estão lendo

O que é rayon?

A Comissão Federal de Comércio americana classificou rayon como um termo genérico para descrever fibras artificiais, fios e tecidos feitos de celulose regenerada e purificada, que é a mesma cadeia polimérica longa encontrada no algodão. A celulose do rayon vem da polpa da madeira, bambu e/ou dos fios de algodão, isto é, as fibras que grudam nas sementes das bolas de algodão. Os fabricantes usaram a viscose, cupramônio e modal (polinósico) para se criar o rayon. A CFC ainda considera a produção de um subgrupo do rayon, através da fibra liocel. O rayon, que é composto de 99% de celulose, pode ser tingido, desfiado e processado para se parecer como algodão, seda, lã e linho.

Fabricando o rayon viscose

O processo da viscose é o método menos caro de criação do rayon. Imergir celulose purificada em uma solução aquosa com 17 a 20% de hidróxido de sódio, incha a celulose e convertendo-a para um tipo alcalino. A massa é processada para se remover o excesso de líquido, picada em "migalhas"e envelhecida por uma temperatura e umidade controladas, de forma a atingir a concentração apropriada de celulose e viscosidade. Os pedaços envelhecidos reagem com o dissulfureto de carbono, formando o xantato de celulose, que é, depois processado e desgaseificado, removendo as bolhas de ar que possam enfraquecer o filamento criado quando a solução final da viscose é extraída através de um fio de platina numa solução diluída de hidróxido de sódio que decompõem o xantato, regenerando a celulose. Os passos finais incluem o alongamento e a remoção de resquícios de sal, deixado pelo processo químico.

Outros processos do rayon

O rayon cupramônio, ou cupro, proporciona a suavidade, a respirabilidade e uma boa base para as cores. O processo de fabricação envolve a dissolução da celulose em uma solução de hidróxido de cupramônio em uma atmosfera de nitrogênio, em baixa temperatura. Essa mistura é extraída em um banho de ácido sulfúrico para decompor a celulose. Mais caro que o processo da viscose, a produção de fibra exibe seções transversais. O processo do rayon polinósico ou modal exige recursos avançados de alongamento, tanto quanto 300%, para se criar uma fibra com baixo alongamento que varia de 8 a 11%, que retém sua forma e permanece forte, molhada ou seca.

O mais novo rayon

O liocel, uma fibra de celulose considerada como rayon pela Comissão Federal de Comércio norte americano e comercializada sob o nome de Tencel, é produzido através de uma solução desenvolvida em 1992. Esse processo mistura e aquece a polpa da madeira de árvores de criação e óxido de amina até que a celulose se dissolva. Extrair essa solução em um óxido de amina diluído faz com que a celulose se precipite em forma de fibra. Depois de lavar essa fibra em água, pode ser finalizada como fio e tecido que também pode ser lavado manualmente. A fabricação do liocel usa menos energia que os outros tipos de rayon e o seu agente dissolvente não é tóxico e é reciclável.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível