Cuidando de zoantídeos

Escrito por contributing writer | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Cuidando de zoantídeos
Pode-se distinguir zoantídeos de corais por possuírem tentáculos (Comstock/Comstock/Getty Images)

Os zoantídeos também são chamados de anêmonas, pólipos, zoos ou zoas, mas seja qual for o termo com que se refira a eles, são as criaturas mais fáceis para um aquariófilo marinho iniciante cuidar. São nativos dos oceanos tropicais e um excelente acréscimo para um tanque de peixes de água salgada de recifes de corais. Requerem a mesma qualidade, salinidade e temperatura de água da maioria dos corais e peixes de recifes. Pode-se distinguir zoantídeos de corais por seus tentáculos que ocorrem em múltiplos de seis. Exibem uma variedade de matizes coloridos de pastel, neon e brilhantes, normalmente com tentáculos e o disco oral em cores diferentes.

Outras pessoas estão lendo

Comprando zoantídeos

Sempre compre zoantídeos cultivados em vez dos colhidos em estado selvagem, pois você terá melhores opções de cores, além de ser menos provável que morram por estresse, pois já estão aclimatados à cultura em tanque de água salgada. Adquirir zoantídeos colhidos em estado selvagem pode levar ao esgotamento das colônias naturais e à eventual destruição do habitat oceânico.

Escolha os de cores brilhantes e que sejam abertos (os tentáculos estão estendidos) e de tamanho adulto ou quase atingindo esse tamanho. Zoantídeos pálidos ou cujas cores são descoradas ou com sinais amarronzados não são saudáveis e devem ser evitados.

Mantenha os novos zoantídeos em quarentena, em um aquário que não seja o de seus peixes e corais, por pelo menos 10 dias para assegurar que não introduzam doenças ou pragas em seu tanque de recife de corais.

Requisitos do tanque

Para ter sucesso com zoantídeos, a temperatura de seu tanque de água salgada de recife de corais deve estar entre 23 e 26 graus Celsius, e o pH deve ser de 8,1 a 8,4. Invista em um escumador de proteína para assegurar a boa qualidade da água e em uma bomba que crie uma corrente de fluxo moderado. Se os seus zoantídeos não vicejarem, adicione um reator de fosfato ao seu tanque de água salgada de recife de corais. Use um lâmpada de metal de haleto ou compactas para a iluminação.

Colocação no tanque

Os zoantídeos devem ser colocados onde houver espaço para se expandirem. Essas criaturas podem ser invasivas em condições corretas e devem ser mantidas afastadas dos corais e moluscos em seu tanque de água salgada, pois colonizam alegremente essas espécies (crescem sobre elas).

Coloque-os em uma área onde recebam uma corrente intermitente, de fluxo médio a forte, de sua bomba de água. Essa corrente os banha com nutrientes e alimentos, e é essencial para sua saúde. Se observar que seus tentáculos são longos, pode ser que a corrente seja muito fraca. Caso se recusem a se abrir totalmente, é provável que a corrente esteja muito forte.

Os zoantídeos ficam mais satisfeitos crescendo sobre rochas, mas também crescem diretamente sobre o vidro do aquário, na areia ou em outros itens do tanque.

Iluminação

Todos os zoantídeos possuem uma alga unicelular, chamada zooxantela, dentro de seus tecidos. Essa alga usa a fotossíntese para produzir nutrientes que compartilha com o seu hospedeiro. Para ocorrer a fotossíntese, todos os zoantídeos precisam de exposição à luz. A necessidade de luz de cada criatura baseia-se em sua cor; os róseos precisam de luz mais forte que os de outras cores. Em geral, todos precisam de luz média a brilhante. Sua cor desaparecerá se ficarem expostos à luz excessiva ou não receberem luz suficiente.

Se você não souber as exatas necessidades de luz de seu zoantídeo recém-adquirido, coloque-o no fundo de seu tanque marinho de recife de corais e mova-o lentamente para mais perto das lâmpadas (mais alto no tanque). Deixe-o ficar no mesmo lugar por 4 a 5 dias antes de deslocá-lo outra vez. Observe-o atentamente em busca de sinais de esmaecimento da cor ou amarronzamento. Se ocorrer alteração, mova-o para uma localização mais funda no tanque (longe das lâmpadas).

Alimentação

As relações simbióticas dos zoantídeos com as algas zooxantelas atende à maior parte de suas necessidades nutricionais, contudo, alguns tipos gostam de ser alimentados com camarões desidratados ou péletes.

A maioria deles se alimentará com o excesso dos alimentos dos peixes e com os resíduos destes. Se for correta a colocação dessas criaturas em seu tanque de água salgada de recife de corais, o fluxo da corrente levará o alimento ao alcance de seus tentáculos.

Se os seus zoantídeos estiverem definhando, você poderá ter como meta alimentá-los 2 a 3 vezes por semana, usando uma pipeta para colocar a comida diretamente sobre os seus tentáculos. Não o espete nem tente forçar alimentá-lo com a pipeta. A desvantagem disto é que os peixes poderão reconhecer a pipeta como uma fonte alimentar e ficar condicionados a beliscar os zoantídeos na tentativa de se alimentar.

Fazendo mais

Quando os zoantídeos são colocados corretamente em um tanque de água salgada de recife de corais e recebem a quantidade correta de alimentos e iluminação, começam a se espalhar alegremente. Coloque um pequeno pedaço de rocha próximo à colônia vicejante. Eventualmente a rocha será colonizada; em geral, isto acontece dentro de um mês. Você poderá então remover a rocha, com os zoantídeos fixados, para vender a outros entusiastas ou trocar por outros de outra cor. Isto é conhecido como propagação em sistema de fragmentação.

Manuseando zoantídeos

Os zoantídeos são tóxicos, contendo uma neurotoxina, e você sempre deverá usar luvas e óculos de proteção ao manuseá-los. Além disso, podem picá-lo e esguichar água se ficarem irritados. Lave sempre as mãos após seu manuseio.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível