Ervas daninhas rasteiras perenes

Escrito por angela ryczkowski | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Ervas daninhas rasteiras perenes
As ervas daninhas rasteiras perenes são problemas comuns em gramados ou jardins (Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images)

As ervas daninhas rasteiras perenes distinguem-se pelas raízes rastejantes ou por partes especializadas semelhantes. Tipicamente produzem grandes números de sementes, o que dificulta a remoção da planta de um gramado, jardim ou sistemas de paisagismo. O controle da maioria delas é feito com o uso de métodos culturais e mecânicos semelhantes, mas é importante a identificação positiva para a seleção do herbicida, caso se opte por métodos químicos de controle.

Outras pessoas estão lendo

Ervas rasteiras perenes comuns

As espécies problemáticas de ervas daninhas rasteiras são diversificadas entre as regiões; no entanto, muitas plantas se espalham amplamente. Algumas espécies de folhas largas disseminadas incluem a corriola, ervilhaca-de-coroa, erva-azedinha e hera-terrestre. Múltiplas gramas também agem como indesejáveis ervas daninhas. As gramas daninhas podem incluir: bermuda, caniço-malhado, curvado e johnson.

Hábitos e métodos de propagação

As ervas rasteiras perenes possuem raízes, rizomas, estolhos rastejantes, uma combinação de rizomas e estolhos, ou trepadeiras aéreas. Essas partes permitem que se espalhem, estabelecendo-se longe da infestação inicial. A reprodução sexuada por meio de semente também é um método que lhes permite aumentar ainda mais sua disseminação. Em gramados, essas ervas rasteiras frequentemente invadem locais em que há escassez ou afinamento da turfa.

Controle e prevenção cultural

O melhor método para controle das ervas daninhas rasteiras perenes é impedir seu estabelecimento, limitando as condições que as favorecem e, em gramados, melhorando a qualidade e a densidade da turfa. Se as áreas forem mal drenadas, incentivando o crescimento de ervas daninhas e inibindo ao mesmo tempo a vegetação desejável, siga algumas etapas para melhorar a drenagem. Se a área for compacta ou utilizada como passagem, considere a aplicação de características de paisagismo, como passagens pavimentadas com pedras. Se densos dosséis de árvores estiverem bloqueando a luz solar do local, apare os ramos seletivamente e semeie novamente variedades de turfa tolerantes à sombra ou plantas ornamentais em áreas de paisagismo. Apare os gramados, na altura apropriada, e forneça água e fertilizante adequados.

Controle mecânico

Muitas vezes, o controle das ervas daninhas rasteiras em canteiros de flores tem resultados melhores se elas forem arrancadas manualmente ou com enxada. Os jardins podem se beneficiar com múltiplos cultivos. Depois de se estar quase totalmente livre de ervas daninhas, mantenha uma zona sem plantas ao redor de sua margem para que as ervas sejam localizadas e removidas rapidamente. Ferramentas do tipo ancinho, projetadas para a retirada dessas espécies incômodas, podem ser usadas na turfa com algum sucesso.

Controle químico

Muitas ervas daninhas de folhas largas podem ser controladas com a aplicação adequada de herbicidas contendo 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D), MCPP (mecoprop) ou dicamba. Esses herbicidas encontram-se disponíveis em muitas combinações diferentes, líquidas ou sólidas. O herbicida não seletivo, glifosato, é mais eficaz na eliminação de qualquer erva daninha perene, mas também matará ou danificará toda vegetação com a qual entrar em contrato. O uso desse tipo de produto é melhor para tratamentos localizados. Depois que as plantas afetadas morrerem, a área poderá ser semeada novamente ou então vegetação desejável poderá ser plantada.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível