Mais
×

O que são extremistas muçulmanos?

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

Desde os ataques ao World Trade Center em Nova York em 11 de setembro de 2001, o terrorismo em geral e o extremismo muçulmano — também conhecido como extremismo islâmico — ganharam ampla atenção. Entretanto, o extremismo político e religioso se apresentam sob diversas formas e existe há centenas de anos. O extremismo muçulmano é só uma forma de extremismo, embora receba mais cobertura que outras fontes no momento.

O extremismo está presente nos vários aspectos da sociedade, tanto no Ocidente como no Oriente (Getty Images)

O que é extremismo?

O extremismo refere-se a crenças, métodos e ações tomadas por um indivíduo ou grupo de indivíduos, especialmente quando buscam uma meta política. O que torna essas crenças, métodos e ações "extremas" é sua relação com crenças e ações mais comuns e aceitas. Por exemplo, extremistas religiosos podem ler textos sagrados e não aceitar nenhum desvio em suas prescrições. Eles também podem defender a violência como um meio de conquistar seus objetivos ao invés de debater e fazer acordos.

O que é o extremismo muçulmano?

O extremismo muçulmano é um tipo particular de extremismo religioso e político que ganhou popularidade após 2001. Extremistas muçulmanos são religiosos fundamentalistas. Eles tendem a acreditar em uma leitura direta do livro sagrado islâmico, o Corão, e muitas vezes insistem que as proibições e prescrições do livro sejam seguidas com precisão. Eles também frequentemente defendem uma resistência violenta àqueles que são vistos como um desafio a suas metas políticas e religiosas. Essa resistência violenta é comumente conhecida como terrorismo.

Extremismo e terrorismo muçulmano

Os ataques de 2001 ao World Trade Center são um exemplo de ato terrorista perpetrado por extremistas muçulmanos antiamericanos e antiocidente. O complexo empresarial era visto como um símbolo do imperialismo e da decadência ocidental. Outros atos terroristas perpetrados por extremistas muçulmanos incluem ataques antissemitas contra ônibus e outros espaços públicos em Israel, assim como ataques a bomba em trens ao redor do mundo, como o que aconteceu em 2004 na Espanha.

Predomínio e localização

Fanáticos muçulmanos não são comuns, assim como fanáticos cristãos, judeus e ateus também não são. Entretanto, dada a natureza frequentemente devastadora e chocante de suas atividades, os extremistas muçulmanos ganham muita atenção quando falam ou agem. O problema é em escala global, mesmo que não seja em grande número. Fanáticos muçulmanos existem em países ocidentais, como os Estados Unidos, Grã-Bretanha e Canadá. Eles são encontrados principalmente em países islâmicos ou que possuem grande concentração de muçulmanos, como Marrocos, Iraque, Paquistão, Líbano e Iêmen. É importante notar que os extremistas nesses países com frequência atacam outros muçulmanos, e não apenas estrangeiros e membros de outras fés.

Cite this Article A tool to create a citation to reference this article Cite this Article