×
Loading ...

Filmes com alta voltagem sexual

Creatas/Creatas/Getty Images

Introdução

Os relacionamentos amorosos são um tema mais do que recorrente no cinema. Vários filmes tratam de amor, paixão, desejo, traição e desilusões. Enquanto uns mantêm o foco no romantismo e nos beijos ardentes e apaixonados, outros são mais ousados e trazem muitas cenas de sexo. A partir dos anos 1970, a segunda opção passou a ser cada vez mais aceita, rendendo grandes bilheterias e algumas cenas censuradas. Nem todos os filmes são sobre amor e romance: alguns falam de perversões, mal entendidos ou ciúmes doentios. Confira 15 ótimos filmes com alta voltagem sexual, produzidos em Hollywood, Europa e também no Brasil.

Brenda Chase/Getty Images Entertainment/Getty Images

O Último Tango em Paris

Um filme dirigido por Bernardo Bertolucci e estrelado por Marlon Brando (foto), por si só, já atrairia a atenção de muita gente. E se esse filme ainda apresentar uma jovem e bela atriz e trouxer um forte componente sexual? “O Último Tango em Paris” (“Le Dernier Tango à Paris”) é uma belíssima produção franco-italiana de 1972. Um homem maduro e uma mulher, em busca de um apartamento, se encontram em um imóvel vazio e disponível. Ali mesmo, começam a ter uma relação singular: eles fazem sexo ardentemente, sem jamais revelar seu nome ao outro. O filme foi censurado em vários países por causa de suas cenas ousadas, como a clássica relação anal em que Brando usa manteiga como lubrificante.

Columbia TriStar/Getty Images Entertainment/Getty Images

Nove e Meia Semanas de Amor

Um dos grandes clássicos dos anos 1980, “Nove e Meia Semanas de Amor” (“Nine 1/2 Weeks”) foi lançado em 1986. É o terceiro filme do diretor Adrian Lyne e o primeiro de uma série de produções suas com apelo erótico. A história mostra o relacionamento entre Elizabeth (Kim Basinger - foto), uma sensual funcionária de uma galeria de arte, e John, um rico empresário. O romance vai se tornando cada vez mais tórrido, à medida que ambos começam a liberar suas fantasias sexuais. Com o tempo, fica nítida a capacidade de John de controlar psicologicamente sua namorada, tornando a relação cada vez mais complicada.

Evan Agostini/Getty Images Entertainment/Getty Images

Atração Fatal

O sucesso de “Nove e Meia Semanas de Amor” fez com que Adrian Lyne investisse novamente no segmento. Veio então “Atração Fatal”, (“Fatal Attraction”), em 1987. O sucesso foi ainda maior que a produção anterior, obtendo grande bilheteria e recebendo seis indicações para o Oscar em 1988, incluindo melhor filme e diretor. O roteiro conta a história de um advogado bem sucedido que se envolve em um relacionamento extraconjugal. Arrependido, ele termina o caso, mas a amante não se conforma e decide perseguir a ele e sua família. A cena de sexo entre Glenn Close e Michael Douglas (foto) na pia da cozinha ficou célebre.

Vince Bucci/Getty Images Entertainment/Getty Images

A Insustentável Leveza do Ser

O fantástico livro do tcheco Milan Kundera ganhou uma boa versão para o cinema. “A Insustentável Leveza do Ser” (“The Unbereable Lightness of Being”), de 1988 traz Daniel Day-Lewis, Juliette Binoche e Lena Olin (foto) nos papéis principais. O trio vive na Tchecoslováquia, durante os anos 1960 e precisa rever suas vidas quando ocorre a rebelião conhecida como “Primavera de Praga”. Assim como no romance, o filme está focado no sexo e as cenas são quentes e muito bem produzidas. Duas delas merecem destaque: uma com os personagens Thomas e Sabina junto a um espelho e outra em que as duas garotas protagonizam um momento de amor. Dirigido por Philip Kaufman.

Jimi Celeste/Getty Images Entertainment/Getty Images

Vítimas de Uma Paixão

Este é mais um filme policial com forte carga de erotismo. “Vítimas de uma Paixão” (“Sea of Love”) foi lançado em 1989 por Harold Becker e tem Al Pacino e Ellen Barkin (foto) nos papéis principais. Ele é um detetive workaholic, encarregado de investigar uma série de misteriosos assassinatos. As vítimas são mortas após responderem à uma coluna de correio amoroso. No entanto, durante as investigações, ele se apaixona pela principal suspeita. A partir daí, tenta provar a inocência da amada, mas os indícios que vão aparecendo não o ajudam nesta tarefa. Enquanto isso, os protagonistas compartilham cenas quentes.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Instinto Selvagem

Na sinopse, “Instinto Selvagem” (“Basic Instint”), de 1992, é basicamente um suspense policial: ex-astro do rock é assassinado em sua própria cama e a principal suspeita é sua namorada. Para investigar o caso, Nick Curran, um detetive com um passado turbulento de viciado em álcool e drogas é designado. Só que o investigador acaba se envolvendo sexualmente com a suspeita. O filme marcou a escalada de sucesso de Sharon Stone (foto) e chamou a atenção pelas cenas de sexo entre ela e Michael Douglas. A cena em que a atriz abre as pernas e mostra as partes íntimas para os policiais durante um interrogatório é clássica. Dirigido por Paul Verhoeven.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

Lua de Fel

Outro clássico do cinema erótico, “Lua de Fel” (“Bitter Moon”) foi lançado em 1992 por Roman Polanski. Nigel (Hugh Grant - foto) e Fiona (Kristin Scott Thomas) são dois ingleses tímidos, que decidem esquentar a relação em um cruzeiro marítimo. Lá, conhecem outro casal bem diferente deles. Oscar (Peter Coyote) diz que lançará um livro autobiográfico, contando as aventuras sexuais com sua bela Mimi (Emmanuelle Seigner). O filme é totalmente calcado no sexo. Os personagens falam sobre o tema a maior parte do tempo, mas reservam espaço na agenda para a prática. A crueza de algumas cenas incomodou os mais pudicos, mas o filme é direto e profundo.

Carlos Alvarez/Getty Images Entertainment/Getty Images

Perdas e Danos

Dirigido pelo grande Louis Malle, “Perdas e Danos” (“Damage”) foi lançado em 1992. O filme é baseado no romance de Josephine Hart e conta a história de um jovem prestes a casar com uma linda mulher. Ele a apresenta para sua família, mas a partir de então a coisa degringola. A moça acaba tendo um caso com o futuro sogro. O relacionamento proibido fica cada vez mais tórrido e leva a uma inevitável tragédia familiar. As atuações de Juliette Binoche (foto) e Jeremy Irons são excelentes, tanto nas cenas dramáticas quanto nas de sexo, muito bem feitas e carregadas de uma tensão envolvente.

George De Sota/Getty Images Entertainment/Getty Images

Proposta Indecente

O que você faria se, em meio a graves dificuldades financeiras, alguém lhe oferecesse um milhão de dólares para ter uma noite de sexo com sua mulher ou seu marido? Pois este é o enredo de “Proposta Indecente” (“Indecent Proposal”), de 1993. David (Woody Harrelson) e Diana (Demi Moore - foto) estão na pindaíba e tentam a sorte nos cassinos de Las Vegas, mas não conseguem dinheiro algum. É quando surge o bilionário John Gage, (Robert Redford), que faz a tal sugestão indecorosa. O filme de Adrian Lyne (sempre ele) atrai o expectador a um clima de tensão e erotismo à medida que o casal questiona seu próprio senso de moralidade.

Nick Elgar/Getty Images Entertainment/Getty Images

Invasão de Privacidade

O sucesso de “Instinto Selvagem” fez com que Sharon Stone (foto) se aventurasse em outro filme tórrido. “Invasão de Privacidade” (“Sliver”) foi lançado por Phillip Noyce em 1993 e se tornou outro grande êxito da atriz. Ela interpreta Carly Norris, uma mulher que se muda para um prédio onde ocorreram vários crimes. O clima de tensão e mistério cresce quando ela descobre que alguém está filmando todo o edifício, inclusive o interior dos apartamentos. As cenas de sexo são quentes e resultaram até mesmo em uma versão mais “comportada”, com algumas tomadas sendo suprimidas. Mesmo assim, a história mantém sua carga erótica bem acesa!

David McNew/Getty Images Entertainment/Getty Images

Carne Trêmula

Outro especialista em filmes com muitas (e ótimas) cenas de sexo é o espanhol Pedro Almodóvar (foto). Em “Carne Trêmula”, de 1997, a história está centrada em um jovem de 20 anos faz relações sexuais com uma desconhecida. Ele a procura tempos depois, é desprezado, mas não desiste de reencontrá-la. Um tiro acidental leva o rapaz para a cadeia e, quando ele é libertado, promete vingança. Uma série de acontecimentos fortuitos vai marcando a vida dos personagens. Durante todo o tempo, a ironia e as insinuações sexuais vão correndo na tela, uma marca registrada do diretor. E este é um dos seus melhores trabalhos.

Getty Images/Getty Images Entertainment/Getty Images

De Olhos Bem Fechados

Último filme de Stanley Kubrick, “De Olhos Bem Fechados” (“Eyes Wide Shut”) foi lançado em 1999, pouco depois da morte de seu diretor. Nicole Kidman e Tom Cruise (foto), casados à época, são os protagonistas. Um advogado se perturba quando sua esposa admite que sentiu desejos por outro homem. Ele passa então a procurar aventuras sexuais e encontra uma confraria secreta que organiza orgias. A história é baseada no conto “Traumnovelle”, de Arthur Schnitzler. A produção tem várias cenas de sexo mas, curiosamente, a menos empolgante é justamente a que envolve o casal, o que acendeu boatos de que eles tinham um casamento arranjado.

Jupiterimages/Brand X Pictures/Getty Images

Um Copo de Cólera

O escritor brasileiro Raduan Nassar lançou vários bons romances, que acabaram ganhando versão cinematográfica. Um deles é “Um Copo de Cólera”, dirigido por Aluízio Abranches e lançado em 1999. Um ex-ativista político vive em um sítio nos arredores de São Paulo. Ali, tenta escapar do mundo real e criar seu próprio universo. Até que conhece uma jornalista, com quem acaba tendo uma relação conflituosa. Os atores Alexandre Borges e Julia Lemmertz, que já eram casados quando o filme foi produzido, garantem o melhor momento do filme. A cena de sexo entre os dois comprova a química entre eles.

Frank Micelotta/Getty Images Entertainment/Getty Images

Cidade dos Sonhos

Uma bela mulher perde a memória após um acidente automobilístico e vai parar em um edifício residencial, em Los Angeles. Lá, faz amizade com uma nova moradora, que tenta lhe ajudar a descobrir sua identidade. Esta é a trama central de “Cidade dos Sonhos” (“Mulholland Drive”), lançado em 2001 por David Linch. A cena de sexo entre as duas protagonistas chama a atenção. As atrizes Naomi Watts e Lara Elena Harring (foto) criaram um momento quente e ao mesmo tempo suave, sempre lembrado como um dos melhores do cinema. Tudo isso em meio a um roteiro forte, sombrio e intrincado, marca registrada do talentoso diretor.

Carlos Alvarez/Getty Images Entertainment/Getty Images

Lúcia e o Sexo

A bela atriz Paz Vega (foto) ficou famosa fora da Espanha após protagonizar o filme “Lúcia e o Sexo’, dirigido por Julio Medem e lançado em 2001. Ela interpreta a personagem-título, que sempre sonhou em ir à uma ilha do mediterrâneo. Seu namorado nunca a quis levar para lá e, quando este desaparece, ela resolve realizar o desejo de conhecer o lugar. A partir de então, surgem várias revelações sobre o personagem sumido. E, em meio ao drama, cenas bem tórridas tendo como palco o belíssimo mar europeu. Um filme recomendadíssimo para assistir a dois, já que o enredo também é muito interessante.