×
Loading ...

O habitat natural das galinhas

Atualizado em 21 fevereiro, 2017

As raças mais comuns de galinha domesticada (mais de 250) pertencem à espécie Gallus gallus e todas elas continuam sendo um importante animal de criação em quase todos os países da Terra. Tecnicamente, não existem galinhas selvagens, embora as origens da ave domesticada possam vinculá-la a uma ave selvagem no sudeste asiático. Para esclarecer a confusão sobre a questão do gênero, os machos são galos a menos que castrados, e esses são os capões; as fêmeas são galinhas e as mais jovens são frangas. Todos eles são galinhas.

Por séculos, as galinhas nos forneceram comida, penas e ossos para ferramentas (many chickens on the farm image by Ivonne Wierink from Fotolia.com)

Galinhas domesticadas

Como as galinhas que somos acostumados a ver e a comer são domesticadas e têm sido por milênios, elas não têm um habitat natural selvagem e, portanto, são encontradas em praticamente todos os climas e ambientes da Terra, geralmente em cativeiro, a menos que escapem do confinamento. Nós, seres humanos, devemos fornecê-las abrigo em áreas que sofrem de mau tempo, seja muito quente ou muito frio, uma vez que esses extremos matarão as aves.

Loading...

Distribuição

Os cientistas, começando com Darwin, acreditam que a galinha domesticada teve origem em algum lugar no sudeste da Ásia, muito provavelmente no que já foi chamado de Oceania (a área que abrange a Polinésia, Micronésia, Austrália e Melanésia), espalhando-se para o oeste através do comércio na Europa por volta do século 7 a.C. Os polinésios que se estabeleceram na Ilha de Páscoa introduziram a ave domesticada ao Hemisfério Ocidental em algum momento em torno do século 12 a.C.

Galinha-parda-da-ásia e galo-banquiva

Também chamada de bengal, a galinha-parda-da-ásia (nome científico Gallus sonneratii) não é tecnicamente uma galinha, embora você provavelmente a identificasse como tal se visse uma. Encontradas nas florestas decíduas da Índia e suas áreas circundantes, muitas são domesticadas como animais de criação. Contudo, ainda é possível encontrá-las na natureza, embora sejam uma espécie em extinção. O território do galo-banquiva se sobrepõe ao do bengal no Aravalli Range da Índia ocidental e Paquistão oriental, mas é mais comum ao longo do monte dos Himalaias.

Tetraz-das-pradarias

Os maiores e mais numerosos tetrazes-das-pradarias norte-americanos (nome científico Tympanuchus cupido) vivem na grama alta e planícies do centro dos Estados Unidos, que vão de Nebraska e Kansas – especialmente os Flint Hills, onde são mais abundantes – por todo o litoral leste e sul até à costa do Texas. Uma subespécie (o tetraz) habita as dunas gramíneas comuns de Massachusetts ao sul de Virginia.

Galo-das-pradarias-pequeno

Menor do que o tetraz-das-pradarias e também uma espécie de tetraz, o galo-das-pradarias-pequeno reside em Kansas, nos Estados Unidos, em particular nas planícies de sálvia de areia no canto sudoeste do estado. Sua variação também se espalha sobre as pastagens de Oklahoma, Colorado, Novo México e Texas. Devido a seus números decrescentes, o galo-das-pradarias-pequeno (nome científico Tympanuchus pallidicinctus) é considerado uma espécie ameaçada.

Loading...

Referências

Loading ...
Loading ...