A história das renas do Natal

Escrito por susan lundman | Traduzido por rosangela gandini
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história das renas do Natal
Papai Noel e suas renas são clássicos do Natal (santa and his reindeer image by jimcox40 from Fotolia.com)

Como todos sabem, o Papai Noel, em cada véspera de Natal, dirige um trenó mágico cheio de presentes puxado por oito pequenas renas. Embora essa história seja mais comum nos Estados Unidos, outros países também possuem lendas que lançam uma luz sobre como a história americana foi criada. A história das renas do Natal torna-se mais clara quando analisamos a antiga mitologia nórdica, os festivais escandinavos e um poema do americano Clement Clark Moore.

Outras pessoas estão lendo

As lendas nórdicas

A lenda nórdica conta que Thor, o Deus do Trovão, voou pelo céus em uma carruagem que foi puxada por duas cabras mágicas, Gnasher e Cracker. O povo pagão que vivia onde hoje são os países escandinavos da Noruega, Suécia, Finlândia e Lapônia celebravam os festivais de inverno em honra a Thor e vestiam fantasias feitas de pele de cabra, revivendo as viagens da divindade.

As celebrações escandinavas atuais

A lenda de Thor e as cabras permanece até hoje, porém, em formas alteradas. O site Holiday Spot conta que, nas lendas da Suécia dos anos 1700, ao invés do moderno Papai Noel, os presentes de Natal eram entregues por uma cabra; mesmo atualmente, a cabra ainda é uma figura legendária, que adverte as crianças para se comportarem. Na Finlândia, adiciona o Holiday Spot, o Papai Noel é chamado de Joulupukki, ou "Yule Buck" -- Cervo da Tora. O site conclui que, na Noruega, enquanto as crianças e adultos caminham através das ruas cantando, eles carregam uma cabra ou vestem fantasias para manter a tradição nacional.

As renas na América

Os estudiosos discordam sobre a primeira menção ao Papai Noel e as renas na América. Alguns dizem que o major Henry Livingstone escreveu sobre elas em um poema de 1807, enquanto outros citam um poema de William Gilley, de 1821. Todos concordam que o poema de Clement Clark Moore, de 1822, "Uma visita de São Nicolau", marcou a versão mais definitiva do mito. Esse poema é a versão que incontáveis famílias e alunos na América recitam em celebração à temporada do Natal. Uma das mais recentes referências às renas é a clássica canção natalina americana "Grandma Got Run Over by a Reindeer" (em tradução livre, "Vovó Foi Atropelada por uma Rena"), pelos cantores Elmo e Patsy.

As renas

Muitos escritores têm apontado que uma vez que o Papai Noel mora no Pólo Norte, é inteiramente adequado que a carruagem seja puxada pelas renas. As renas, de fato, são os mesmos animais que os americanos chamam de caribu. Elas eram provavelmente os veados pintados nas cavernas antigas através da Europa. As renas atualmente são apenas encontradas nas áreas distantes do norte do Canada e Lapônia, onde os moradores herdam milhares delas e usam esses animais para usufruir da carne, do leite, do couro e dos chifres, bem como para puxar trenós.

Rudolfo

Entre todas as renas, estão a Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cupido, Trovão, Relâmpago e Rudolfo, que é, como todos sabem, a mais famosa de todas. Em 1939, Rudolfo aparece em uma história escrita por Robert L. May para a loja de departamentos de Montgomery Ward. A história transformou-se em uma música em 1949, gravada por Gene Autry, e continua a ser emblemática até hoje.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível