A história das roupas indianas

Escrito por cece evans | Traduzido por rita pacheco
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
A história das roupas indianas
Indianas usam sari (femmes en saris image by harmonie57 from Fotolia.com)

Ao longo da história as roupas indianas variam muito de acordo com a região, religião e clima. Saris e o salwar kameez — roupas unisex que consistem em calças largas e uma túnica — são vestimentas tradicionais para mulheres indianas. Os homens vestem tradicionalmente o lungi, dhoti ou kurta. Enquanto a moda europeia aparece em cidades grandes como Mumbai, muitos indianos mantêm a tradição de suas roupas.

Outras pessoas estão lendo

História e política

O traje indiano tradicional assumiu significado político durante a luta pela independência da Índia do domínio britânico na primeira metade do século 20. Mohandas Gandhi famosamente usou a dhoti e xale indiano tradicional. A dhoti é uma faixa retangular de tecido de cerca de 90 cm de comprimento. Os homens usam a dhoti embrulhada e amarrada em torno de suas pernas e cintura.

Gandhi produzia suas próprias roupas. Na Índia, a escolha de Gandhi de vestuário se tornou politicamente significativa, porque se ligou ao movimento para rejeitar produtos britânicos e apoiar produtos e tradições indianas.

Sari

O sari, por vezes escrito "saree", é uma longa faixa de pano despontado que as mulheres drapeiam sobre o corpo de várias maneiras diferentes. No final do século 20, a maneira mais comum de usar o sari é a envolvê-lo ao redor da cintura e jogá-lo sobre o ombro. As mulheres usam o sari sobre uma anágua e uma blusa de manga curta equipada chamado de "choli" ou "ravika".

A história do Sari

Traços históricos mencionam as roupas de tecido drapeado desde a Civilização do Vale do Indo (2800–1800 aC), onde os arqueólogos descobriram uma estátua de um sacerdote com um pano enrolado. Embora sem datas precisas, a maioria dos historiadores concorda que os saris se desenvolveram simultaneamente no norte e sul da Índia, e que as mulheres têm usado o sari na sua forma atual por centenas de anos.

No final dos séculos 19 e 20 o sari se tornou um símbolo da nação indiana. Vários artistas famosos como Ravi Varma e Tagore Abanindranath fizeram pinturas que caracterizam várias mulheres vestidas com as variações regionais do sari para simbolizar a diversidade e unidade do povo indiano.

Dhoti

Os estados indianos ocidentais de Rajasthan, Gujarat e Maharashtra têm um grande número de homens que continuam a usar a dhoti. Existem muitas variações regionais em como os homens usam a dhoti em toda a Índia. Em Gujarat, por exemplo, os homens usam o dhoti com uma kurta curta em cima, chamada de "kediya" (uma kurta é uma túnica abotoada pela frente até a metade).

A dhoti também está sujeita a várias regras de etiqueta. Na parte sul da Índia, os homens às vezes puxam a dhoti e dobram a parte superior em volta da cintura — a dhoti então termina um pouco abaixo dos joelhos. No entanto, muitos acreditam que falar com as mulheres com o dhoti usado desta maneira mais curta é indecente e desrespeitoso.

A história do Dhoti

Assim como o sari, indianos têm usado a dhoti e estilos semelhantes a ela por vários séculos. Vários estilos de dhoti aparecem nas esculturas Amaravati, feitas durante a dinastia Satavahana do sul da Índia (2 º ao 3 º século aC). Muitas das dhotis esculpidas nas esculturas Amaravati também têm kamarbands, um larga faixa de cintura cujo nome é a fonte do cummerbund ocidental.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível