Os melhores poemas da renascença de Harlem

Escrito por kim davis | Traduzido por alexandre guerra
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Os melhores poemas da renascença de Harlem
Harlem é um centro histórico da cultura afro-americana (African american man image by Mat Hayward from Fotolia.com)

O renascimento do Harlem foi um amplo movimento intelectual e cultural entre os membros da Comunidade da África, centrado e simbolizado pelo bairro de Harlem, em Nova Iorque, que se desenvolveu entre 1910 e 1940. Durante esses anos, a população de Harlem era, em sua maioria, de afro-americanos, e local de origem de escritores, poetas, pintores e músicos. A renascença do Harlem englobou desde textos políticos até jazz e é lembrada especialmente devido a poetas como Contee Cullen, Claude McKay e Jean Toomer. Langston Hughes foi, provavelmente, o poeta mais famoso da renascença do Harlem.

Outras pessoas estão lendo

"The Negro Speaks of Rivers"

Langston Hughes (1902-1967) publicou esse famoso poema em sua coletânea, de 1926, intitulada "The Weary Blues". O poema refere-se aos rios que marcam a história dos afro-americanos, desde o Nilo e o Congo até o Mississipi, e os comparam com a alma do poeta. "Minha alma tornou-se profunda como os rios".

"My People"

Outro poema lírico admirado de Hughes é o bem curto "My people", que confunde estereótipos raciais elogiando a beleza distintiva das faces, olhos e almas de seu povo. Hughes passou então a escrever uma série de romances, que se iniciou com o premiado "Not Without Laughter", além de peças e obras de não ficção sobre a experiência de vida dos afro-americanos.

Os melhores poemas da renascença de Harlem
Os poetas de Harlem protestavam contra a injustiça (Cadenas image by Angrist from Fotolia.com)

"If We Must Die"

Esse é um famoso poema de 1919, escrito pelo poeta jamaicano Claude McKay (1889-1948), que vivia em Harlem e protestava contra um cenário de conflitos raciais. O poema eloquente defende a morte como nobre em conflitos, caso seja necessária, instigando o seu povo a morrer não como porcos ou cães, mas "pressionando contra a parede, morrendo, mas lutando!". Mckay também escreveu romances, incluindo "Home to Harlem" (1928).

"Black Christ"

Contee Cullen (1903-1946) manteve a herança romântica da poesia inglesa, resistindo à invasão das influências modernas como o jazz, ainda que lidando intensamente com temas raciais em poemas como "Black Christ", a história de uma vítima de linchamento que volta à vida para contar sua dura provação. Cullen morreu de uma doença repentina com 42 anos.

Os melhores poemas da renascença de Harlem
A renascença do Harlem é lembrada por seus romances e poemas revolucionários (books image by MAXFX from Fotolia.com)

"Cane"

"Cane" (1923), um livro pequeno de Jean Toomer (1894-1967), mistura perfeitamente a prosa com versos curtos, oferecendo um quadro simbólico da vida afro-americana, dos campos de algodão às grandes cidades. Pequenas manifestações da poesia modernista destacam a vida urbana: "Cadillacs rugem se aproximando/ Percorrendo, percorrendo as pistas de automóveis".

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível