Modelos de negócios de e-commerce

Escrito por victoria duff Google | Traduzido por daniel tamayo
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Modelos de negócios de e-commerce
Comércio eletrônico (Jupiterimages/Pixland/Getty Images)

Desde meados da década de 90, a internet se transformou de uma curiosidade tecnológica para uma ferramenta indispensável hoje em dia. A primeira forma de e-commerce foi a venda de produtos e serviços a consumidores. Ela logo foi seguida pela venda entre empresas, que se tornou o maior volume de uso do e-commerce em 2001. Conforme a tecnologia e a conectividade melhoraram, outras formas de comércio eletrônico surgiram.

Outras pessoas estão lendo

Tipos de modelos de negócios

Existem quatro tipos principais de modelos de e-commerce:

Da empresa ao consumidor (B2C): a Amazon é um exemplo de uma das primeiras desse tipo e ainda é uma das empresas mais bem sucedidas no e-commerce. O modelo B2C vende produtos e serviços para o consumidor, geralmente através de catálogos onlines e sistemas de transações por cartão. Os serviços como assinatura para sites de informação e backup de dados online são exemplos de e-commerce B2C.

Da empresa para a empresa (B2B): a Cisco é um exemplo de um dos primeiros catálogos B2B online. Outros exemplos incluem serviço de intranet e conferências online.

Do consumidor para a empresa (C2B): o Elance é um exemplo desse tipo de negócio, onde os consumidores postam um projeto e as empresas respondem com propostas. Outro exemplo são os leilões online.

De consumidor para consumidor (C2C): os sites Craig's List e e-Bay são exemplos desse tipo, onde consumidores podem publicar anúncios e oferecer seus itens para outros consumidores. Esse é o segmento que cresce mais rapidamente, graças ao surgimento das redes sociais.

Vendas de produtos e serviços

Há cinco fluxos de receitas tradicionais no e-commerce, e as vendas de produtos e serviços é o principal deles, que apóia todas as outras formas de receita. A venda é a principal razão para visitas em websites. Informação é outra razão, e por isso que muitas lojas online expandiram seus sites para abranger críticas dos clientes sobre o produto e novidades, além do tradicional catálogo. Isso significa que as pessoas visitarão preferencialmente os catálogos que oferecem informações adicionais, no lugar daqueles mais simples. Isso também aumenta o tempo que os clientes ficam no site, e aumenta a propensão de eles falarem sobre os itens com seus amigos. Tudo isso é importante para um modelo de e-commerce de sucesso.

Programas de afiliação

A Amazon é um excelente exemplo de um negócio online que faz uso de programas de afiliação. Muitos outros sites e blogs fornecem a seus visitantes listas de sugestões de leituras, e praticamente todas essas listas se conectam com o site da Amazon daquele livro sugerido. Qualquer um que deseje comprar um desses livros pode fazê-lo com sua conta normal, mas o site será creditado com uma pequena comissão por facilitar a transação recomendando o livro. Programas de afiliação chegam a gerar até 80% das transações para alguns sites. Isso faz do marketing de afiliação um aspecto importante do e-commerce.

Patrocínios

Muitos fabricantes fornecem várias informações sobre produtos para uso em sites que levam seus produtos. Essa é uma maneira bem sucedida de fazer propaganda porque permite que o fabricante construa a imagem do produto e sutilmente venda suas vantagens. Compradores online respondem bem a esse tipo de propaganda, especialmente quando o fabricantes patrocinam uma seção de informações relacionadas ao produto. Esse tipo de patrocínio para um site ou seu catálogo online é uma forma valiosa de oportunidade de propaganda para os fabricantes e, dessa forma, uma maneira atrativa de conseguir receita com propaganda pelo site.

Propaganda

Há muitas formas de propaganda no e-commerce. O patrocínio é uma delas, mas além dos tradicionais banners há outros tipos menos óbvios de propaganda como links dentro do conteúdo, caixas de textos e vários tipo de pop-ups. A receita da propaganda é aumentada significativamente pelo número de visitantes do site, o total de tempo que eles gastam e quantas páginas visitam. Essa é uma das razões pelas quais um site deve ter muitas informações para atrair os visitantes e mantê-los conectados.

Dados de demografia

Quando um visitante interage em um site, praticamente tudo que a pessoa faz é rastreado e gravado. Coletar dados pessoais dos visitante não é considerada uma boa maneira, ao invés disso, o normal é identificar o visitante com um cookie que não grava nenhuma informação pessoal. Esse rastreio permite que o site mostre as propagandas que combinem com o histórico do visitante. Esse tipo de dado demográfico e psicológico é muito valioso para os publicitários, e o conjunto desses dados disponível para uso representa um fluxo de receita que se tornou mais um complemento à receita do site do que uma fonte independente; a preocupação com a privacidade demanda que os vendedores resistam à tentação de vender essas informações para uma terceira parte.

Celular

Apesar do e-commerce em celular ser considerado um território novo e inexplorado, conforme a tecnologia melhora e a conectividade permite acessos mais rápidos à Internet, esse tipo de comércio segue muitos aspectos já conhecidos dos outros modelos, e provavelmente desenvolveram algumas qualidades exclusivas.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível