Ocorrência de alergia ao arroz em cães

Escrito por jelena woehr | Traduzido por caroline zemuner
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Ocorrência de alergia ao arroz em cães
Ao suspeitar de alergia em um cão deve-se submetê-lo a um teste para especificar o alérgeno (Digital Vision./Photodisc/Getty Images)

As alergias ao arroz são relativamente comuns em cachorros. Alguns veterinários acreditam que a reação é desencadeada ao longo do tempo pela exposição ao arroz, um ingrediente encontrado em muitas rações e petiscos para cães. Esse tipo de alergia pode ser diagnosticado através de exames de sangue, teste cutâneo intradérmico ou em uma dieta de eliminação. Um animal alérgico ao arroz deve evitar a ingestão de produtos com esse ingrediente e comer um alimento que contenha uma fonte de carboidratos diferente.

Outras pessoas estão lendo

Sintomas

Alguns dos sintomas da alergia ao arroz são o prurido e a perda de cabelo, quando um alimento que contém o ingrediente é consumido. Também pode-se observar vermelhidão e irritação da pele. O cão pode ter "manchas quentes" que podem ser sentidas acariciando seus lados, ancas ou barriga. Essas manchas são notavelmente mais quentes do que o resto da pele do cão. Esses pontos avermelhados nem sempre ocorrem devido a alergias alimentares. Se uma alergia ao arroz estiver presente, a reação será observada dentro de 24 horas após o consumo de alimentos que contêm esse ingrediente.

Causas

A alergia ao arroz pode ser causada pela exposição a esse alimento durante toda a vida do animal. Em certo ponto, as fórmulas de rações com cordeiro e arroz foram pensadas ​​para ser ideais a cães com alergias alimentares. Bons resultados foram observados, uma vez que quando estas fórmulas foram introduzidas pela primeira vez a maioria dos cães não havia sido exposta a cordeiro e arroz. Isso levou a uma saturação do mercado com essa ração supostamente superior e hipoalergênica, que por sua vez fez com que muitos cães desenvolvessem alergias a esses ingredientes.

Testes

A alergia ao arroz pode ser diagnosticada através de exames de sangue, teste intradérmico ou uma dieta de eliminação. Os exames de sangue são realizados utilizando o método ELISA ou RAST. Ambos requerem uma pequena quantidade de sangue a ser colhida e exposta a alérgenos. Se muitos anticorpos forem produzidos ao expor a amostra a um produto específico, isso indica que o cão é alérgico a essa substância. O teste intradérmico requer sedação e raspagem de uma grande área no lado do cão. Pequenas quantidades de alérgenos são injetados na pele e uma área elevada com irritação é observada quando uma resposta alérgica é disparada. Uma dieta de eliminação requer alimentar o cão com uma fonte de proteína e uma de carboidrato que sejam completamente novas para o animal. Após identificar uma dieta que não provoca reação, o dono pode adicionar ingredientes da alimentação anterior, um de cada vez. Se a adição de arroz provocar uma reação, isso indicará que o cachorro tem alergia a esse alimento.

Alergias similares

Os cães com alergias ao arroz podem também ser também alérgicos a outros carboidratos utilizados na produção de alimentos para animais de estimação. Os animais alérgicos especificamente ao glúten de arroz são suscetíveis a reagir com outros tipos de glútens, incluindo o de milho e o de trigo. Estes alimentos junto com a soja e o frango são os alérgenos mais comuns em cães.

Conduta

Deve-se lidar com a alergia ao arroz com uma dieta que não inclua esse produto. Fontes de carboidratos alternativas podem ser a batata-doce, a quinoa ou o amaranto, entre outros. Tente variar a alimentação do animal ao evitar o arroz, de modo que não apareçam novas alergias. Se encontrar uma marca de ração que faça bem ao seu cão, veja se ela tem múltiplas fórmulas com diferentes fontes de proteína e carboidratos. Se assim for, mude a fórmula dentro da mesma marca cada vez que comprar um novo saco.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível