As partes de um vaga-lume

Escrito por sean kotz | Traduzido por elton alves ribeiro
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
As partes de um vaga-lume
Um vaga-lume se parece com muitos outros insetos até o sol se pôr e envia uma luz amarela brilhante do abdômen (Brand X Pictures/Brand X Pictures/Getty Images)

Como todos os outros insetos, o vaga-lume tem cabeça, tórax e abdômen, que é parte de como ele é definido. Ele tem asas também, mas é o abdômen que o torna especial. Sua biologia interna integra várias partes especializadas que permitem que ambos os sexos brilhem à noite para atrair um parceiro.

Outras pessoas estão lendo

Partes comuns a todos os insetos

Algumas características anatômicas dos insetos são sempre as mesmas. A cabeça é a unidade sensorial do corpo, e é constituída por placas de ligação. As antenas, saliências longas da cabeça, permitem que o inseto sinta o mundo ao redor. Um inseto também tem um tórax com seis pernas, que é o centro muscular do corpo. O vaga-lume tem dois pares de asas. Um deles é uma casca externa, enquanto o par de baixo é para voar. Além disso, tem um abdômen único, que emite luz quimicamente.

Partes químicas

Existem dois produtos químicos primários no abdômen do vaga-lume que produzem luz, chamados luciferina e luciferase. De acordo com fireflies.org, "luciferina é resistente ao calor e brilha sob as condições certas. Luciferase é uma enzima que provoca a emissão de luz. A ATP é uma substância química dentro do corpo do vaga-lume que converte a energia e começa a brilhar". Além disso, o ácido nítrico deve ser produzido pelo vaga-lume internamente para iniciar o processo.

Células especializadas

Na área da "lanterna" do abdômen do vaga-lume, várias células específicas permitem que o inseto crie a luz sem produzir qualquer calor. Existem camadas de células de reflexão e uma camada importante e única de photocytes em anéis em torno de tubos de ar. Dentro das photocytes há estruturas específica, denominadas peroxissomos, onde luciferina, luciferase e ATP se combinam para produzir o brilho característico.

Traquéola e mitocôndrias

O oxigênio é uma parte importante do processo de acender o corpo do vaga-lume, mas não há pulmões para tirar o oxigênio. Em vez disso, os tubos minúsculos chamados traquéolas transportam oxigênio para as photocytes. Isso acontece quando as mitocôndrias ou as estruturas de produção de energia nas células absorvem ácido nítrico suficiente para mantê-las ocupadas, o que permite que o oxigênio passe através dele e inicie o processo químico para iluminar o inseto.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível