Quais são os princípios básicos do mundo islâmico

Escrito por c. paul martin | Traduzido por alessandra schindler
Quais são os princípios básicos do mundo islâmico
Os muçulmanos converteram a igreja ortodoxa de Hagia Sophia em uma mesquita em 1453 (Jupiterimages/Photos.com/Getty Images)

O mundo moderno tem mostrado grande conscientização da religião islâmica devido à sua influência e crescimento rápido. Muitos equívocos sobre essa religião surgiram por causa das ações de grupos extremistas, mas isso não deveria obscurecer as crenças básicas do islamismo, que é, em primeiro lugar, uma religião espiritual. Estritamente falando, os princípios básicos da religião islâmica podem ser explicados em seus seis artigos de fé.

Deus

O conceito islâmico de Deus, "Alá", diz que ele não tem gênero ou número e postula onipotência e transcendência. Como descrito no Alcorão 112:1-4: "Ele é o Deus, o Único, Eterno e Absoluto; Ele não gerou e nem foi gerado; e não há ninguém semelhante a Ele". Para os muçulmanos, Alá é incompreensível, fazendo com que essa doutrina seja a primeira no artigo da fé. Embora o islã respeite o trabalho de Jesus e abrace seu ancestral comum, Abrãao, os muçulmanos rejeitam as imagens de Deus como pai ou trindade, da religião judaica e cristã.

Anjos

Sem livre-arbítrio, e, portanto, totalmente obedientes, os anjos são os mensageiros de Deus, comunicando sua palavra para seu povo e, principalmente, para Muhammed. Um outro dever dos anjos é manter uma vigilância constante sobre o povo de Alá, para que sejam registradas todas as ações deles na terra e, depois, que eles sejam julgados; além disso, os anjos escoltam as almas depois que as pessoas morrem. Finalmente, os anjos também atuam como intercessores, pleiteando com Deus em nome do homem e pedindo a Ele que conceda misericórdia a Seu povo.

Revelações

De acordo com o Islã, o anjo Gabriel revelou as palavras de Deus, o Alcorão, para Muhammed em ocasiões diferentes, começando em 610 d.C. e continuando até a sua morte, em 632 d.C.. O Alcorão tem 114 capítulos em seu idioma original (árabe). Curiosamente, os muçulmanos fazem uma distinção entre o Alcorão original e o Alcorão traduzido. Para eles, somente o Alcorão em árabe tem o verdadeiro significado, e, devido a erros inerentes, as traduções são somente interpretações ou comentários.

Profetas

No islamismo, os profetas são pessoas que, genuinamente, receberam a palavra e o desejo de Deus em ordem de liderar o povo islâmico. De profetas, podemos citar: Adão, Noé, Abrãao, Moisés e Jesus. Para os muçulmanos, Muhammed é o maior de todos os profetas. Ele é creditado por levar a palavra divina ao povo (o Alcorão), e os muçulmanos são encorajados a emular sua vida, uma prática conhecida como Sunnah. Somente vivendo apropriadamente o Sunnah é que um muçulmano pode interpretar o Alcorão de forma adequada.

Ressureição e julgamento

No Islã, as crenças são de que a hora final acontecerá quando todos estiverem ressuscitados, em alma e corpo, no fim dos tempos. Nessa hora, todos serão julgados por seus pecados e, aqueles que forem culpados por não acreditarem (usura), ou por terem sido desonestos (além de outras ofensas), serão condenados ao inferno. Por outro lado, aqueles que levaram uma vida correta serão levados ao céu, onde receberão felicidade eterna. A ideia do islamismo para caracterizar o céu é a descrição de diversos prazeres físicos, embora isso venha junto com a crença mais comum do céu como a revelação plena da glória de Deus.

Predistinação

O islamismo coloca que Alá tem conhecimento e controle de tudo o que acontece. O Alcorão, capítulo 9:51, diz que: "Nada acontecerá conosco exceto o que Alá decretou para nós: Ele é o nosso protetor". Apesar da presciência de Alá de tudo o que acontecerá, os muçulmanos afirmam que seu livre-arbítrio não é impugnado, e suas escolhas são meramente previstas por Deus.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível