Como resolver um dilema ético

Escrito por jared lewis | Traduzido por rodrigo gammaro alves nunes

Resolver um dilema ético pode ser uma tarefa difícil dependendo da natureza do dilema em si. Eles podem surgir em casa, na escola e no local de trabalho. A ética é o estudo filosófico da moral, mas pode ser mais estreitamente definida para se referir a um conjunto de regras ou código de conduta. Esses códigos de conduta podem variar, já que diferentes tipos de profissão podem ter diferentes tipos de regras que podem criar uma questão ética por si mesmas. Por definição, um dilema ético coloca a questão de como você deve agir em face de circunstâncias ambíguas de acordo com as normas acordadas.

Instruções

  1. 1

    Avalie a situação. Resolver um dilema ético exige que você seja capaz de dar um passo para trás na situação vê-la como um todo. Isso é o equivalente a obter uma "vista aérea". Você precisa entender quem é afetado pelo dilema para além de você mesmo, o potencial de decisões e quais os resultados dessas decisões para todos os envolvidos. Ao ganhar uma perspectiva mais ampla do problema como um todo, você vai estar mais informado e capaz de tomar uma decisão que talvez seja justificável com base na avaliação das circunstâncias. Caso seja possível, aja de uma maneira que seja a única possível, dada a situação em mãos. Avaliar a situação o ajudará a fazer isso.

  2. 2

    Faça uma lista de prós e contras das decisões possíveis. Por vezes, ver qual decisão supera outra com base em um grande número de implicações positivas pode ser suficiente para fazer com que se aja de forma ética. No entanto, lembre-se que a criação de uma hierarquia simples dos preceitos éticos não garante necessariamente a capacidade de tomar a decisão certa. Às vezes, as ações que teriam parecido positivas em uma situação, dado o número de implicações positivas, pode vir a resultar em um resultado indesejável em um conjunto diferente ou até mesmo semelhante de circunstâncias. Certifique-se de considerar o impacto de cada resultado positivo e negativo sobre outras pessoas afetadas pela decisão final do dilema.

  3. 3

    Pratique o "imperativo categórico". O filósofo alemão Immanuel Kant defendeu essa ideia como forma de tomar decisões quando confrontado com dilemas morais. O mesmo deve ser verdade em dilemas éticos mais restritamente interpretados. Em essência, você deve se lembrar que qualquer pessoa envolvida na decisão tem direitos próprios. A pergunta que você deve fazer antes de tomar sua decisão é se ela viola ou não os direitos de terceiros. Kant redigiu: "Aja apenas de acordo com aquela máxima através da qual você pode ao mesmo tempo querer que se torne uma lei universal". Você só pode se considerar eticamente "certo" quando os direitos de terceiros não forem violados.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível