O sistema respiratório de um leão africano

Escrito por tracy stefan | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
O sistema respiratório de um leão africano
O rei da selva (African lion image by Diane Stamatelatos from Fotolia.com)

O leão africano é um mamífero de sangue quente, que respira da mesma maneira que nós -- através de narinas, boca e pulmões. Ele vive tipicamente em climas quentes, então o calor é sempre um problema. Ele tem uma termorregulação simples, com uma troca de calor através da pele, geralmente ofegando depois de algum esforço, uma grande refeição ou longa exposição à luz solar direta. É por isso que eles são carnívoros noturnos, fazendo a maior parte de suas caças à noite, quando é mais frio. Durante o dia, são encontrados deitados à sombra de árvores. Frequentemente, eles lambem seus membros dianteiros para esfriar o sangue nas áreas altamente vasculares.

Outras pessoas estão lendo

História

O leão africano pertence à família Felidae e é um dos quatro grandes felinos no gênero pantera. Ele é o segundo maior felino vivo, atrás do tigre. O leão africano macho tem uma juba, pode pesar de 150 a 226 kg e medir até 1,90 metros da cabeça até a cauda. Ele pode ter de 66 cm a um metro de altura nas quatro patas. A maioria dos leões vive atualmente na África central, onde se estima que existam de 16 mil a 30 mil deles, bem abaixo dos 100 mil que existiam no início da década de 90. Eles foram extintos na Europa, na África do Norte e no Oriente Médio no início do século 20. Leões são os únicos grandes felinos que vivem em grupos chamados "orgulhos".

O sistema respiratório de um leão africano
A maioria dos leões vive na África central atualmente (lion image by dethchimo from Fotolia.com)

Respiração

Essa espécie de leão respira continuamente da mesma maneira que nós, com um sistema respiratório de duas vias. O leão inspira oxigênio e expira dióxido de carbono, gerando energia para o crescimento de células no processo. O dióxido de carbono impacta no pH de seus sistemas e a expiração de gases precisa de muita água. Os leões têm um trato respiratório superior e um inferior. O superior é do lado de fora da caixa torácica e o inferior, que contém o tecido pulmonar responsável pelas trocas gasosas, é dentro dela.

O sistema respiratório de um leão africano
Leões têm um sistema respiratório de duas vias (pride of lions image by Dor Sela from Fotolia.com)

O nariz

Uma mucosa respiratória recobre o trato respiratório com uma saliva aguada que serve para passar detritos através dele, mantendo-o "limpo" com a ajuda de vibrissas, ou pequenos pelos do nariz, que oscilam. Quando o nariz inspira oxigênio, o muco ciliado impede a poeira, pólen, bactérias e pequenos insetos de entrarem na garganta e nos pulmões. O nariz é mantido aberto pelos ossos do crânio e pela cartilagem. Ele é dividido em dois quadrantes, a narina direita e a esquerda, também chamadas de aberturas anteriores. O muco também serve para aquecer o ar quando ele entra no corpo, evitando danos ao tecido do pulmão causado pelo ar muito frio.

O sistema respiratório de um leão africano
Inspiração de oxigênio pelo nariz e boca (lion yawning image by Xavier MARCHANT from Fotolia.com)

O ciclo da respiração

Quando o leão africano inala oxigênio através do nariz e da boca, o tórax expande, aumentando o volume de oxigênio nos pulmões. Isso é controlado involuntariamente pelos músculos do diafragma. Durante uma respiração profunda, os músculos entre as costelas as levantam e afastam, expandindo o tórax e o pulmão. Quando expira, o tórax relaxa, diminuindo a capacidade do pulmão pela ação elástica de recuo do diafragma. Os músculos puxam as costelas para baixo e para dentro, reduzindo os níveis de oxigênio no tórax e pulmões.

O sistema respiratório de um leão africano
O diafragma controla os músculos para a respiração (lion tongue image by Xavier MARCHANT from Fotolia.com)

Oxigênio para dentro, dióxido de carbono para fora

Os gases são dissolvidos na água e trocados por difusão através da fina membrana mucosa na parede alveolar, membrana basal e na parede capilar. Enquanto o oxigênio entra no sangue, o dióxido de carbono sai. Durante esse processo, ocorre a ventilação, esfriando o sistema e garantindo um suprimento estável de ar fresco aos tratos respiratórios. A troca de gás sistemática acontece em outros tecidos quando o oxigênio é trocado por dióxido de carbono.

O sistema respiratório de um leão africano
Gases são trocados nos tecidos (thorax x-ray of the lungs image by JoLin from Fotolia.com)

Oxigênio

Enquanto o oxigênio adentra o nariz e a boca, uma pequena quantidade dele é dissolvida no plasma. A maior parte dele se prende à hemoglobina no sangue, especialmente os que contêm ferro na molécula de Hb. Altas temperaturas, elevado teor de dióxido de carbono e baixo pH são catalisadores para o aumento da difusão de oxigênio.

Dióxido de carbono

Enquanto o dióxido de carbono é exalado, cerca de 7% se dissolve no plasma. Outros 23% são carregados em cadeias de aminoácidos. Os 70% que sobram são carregados no plasma e expelidos através do nariz e da boca. Como nos humanos, o ciclo respiratório é regulado por uma rede de centros reguladores interconectados localizada no sistema cerebral.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível