Sobre leite estragado

Escrito por carolyn williams | Traduzido por sergio mosquim junior
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sobre leite estragado
O leite estragado pode parecer que deve ser jogado fora, mas ele possui seus usos. (got milk image by Leticia Wilson from Fotolia.com)

Sentir o gosto de leite estragado certamente fará seu estomago se revirar. O leite estragado possui aroma e aparência característicos, porém ele não precisa ser jogado fora. Ele é um componente crítico de algumas delícias, então aprenda mais sobre o leite estragado para ter certeza de que você não está descartando algo valioso.

Outras pessoas estão lendo

Identificação

É relativamente fácil identificar leite estragado. Ele possui cheiro e aparência característicos, dependendo de quando ele começou a estragar. Ele pode ter um gosto amargo inicialmente, bem como um cheiro azedo. Enquanto continua a estragar, o leite desenvolve aglomerados que são o leite talhado.

Efeitos

A maioria das pessoas que bebem leite estragado identificam o gosto ruim e cospem. Mas crianças que talvez não o saibam podem acabar bebendo o leite. Se ingerido, ele afetará a criança como qualquer outra infecção alimentar. Isto é, a criança terá dores de barriga e pode desenvolver diarreia e vômito para eliminar a comida estragada.

Esteja atento sobre qualquer mofo que aparecer no leite. A pasteurização remove a maioria deles do estoque, mas eles podem aparecer em leite não pasteurizado. O mofo pode aparecer marrom, verde, rosa ou branco. Se qualquer uma dessas cores aparecer e o leite tiver um cheiro azedo, não ingira.

História

O processo de pasteurização remove muitas bactérias do leite. Antes de sua invenção, beber leite que estava estragado tinha o potencial de causar a morte ou outras doenças significativas. A pasteurização mata bactérias ao aquecer o leite a uma temperatura escaldante, matando qualquer mofo, fungo ou bactéria que possa causar doença e afetar a pessoa que ingira a bebida. Esse processo não destrói todos os microrganismos no leite, mas tem o objetivo de reduzir agentes patogênicos que o habitam naturalmente. Criado por Louis Pasteur na década de 1860, a pasteurização foi aplicada primeiramente ao leite que era dado aos bebês e crianças doentes. O sucesso levou a uma aplicação maior, tratando a produção de leite nas maiores cidades da América. A maioria do leite que você compra atualmente no mercado foi pasteurizado, mas leite estragado ainda tem o potencial de torná-lo doente.

Potencial

Nem todo o leite estragado deve ser jogado fora. Você pode, por exemplo, usá-lo para fazer paneer, um queijo indiano versátil (veja leituras adicionais). Ele pode ser incluído em aperitivos e pratos principais, assim como em sobremesas. É um bom substituto para a carne, porque ele possui uma versatilidade similar à do tofu. Ele adota os sabores do que estiver sendo cozido com ele.

O paneer é leite fervido que foi talhado com agentes ácidos (vinagre, limão ou iogurte). Os sólidos são peneirados e pressionados sobre uma superfície dura, como um dicionário grosso. Essa pode ser uma ótima maneira de usar um produto que você normalmente descartaria.

Avisos

Se sua criança encontrou uma mamadeira ou caneca com leite que foi deixado de lado no carro ou na cama por alguns dias, ela pode não exibir nenhum sintoma. Começando com a saliva em sua boca e ao longo do sistema gastrointestinal, o corpo de sua criança é equipado para combater germes. E o leite é terreno fértil para o desenvolvimento de germes por causa de seu teor nutricional. Bom para nós, bom para germes. Mas se sua criança desenvolver um estado febril ou ter vômitos, diarreia ou dores abdominais nos dias seguintes, ligue para o médico.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível