Sobre a literatura africana

Escrito por will gish | Traduzido por angela spada
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Sobre  a literatura africana
A África é segundo maior continente do mundo, depois da Ásia (Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images)

Em sua forma mais básica, literatura constitui qualquer tipo de documento ou trabalho escrito. Neste sentido, a longa e renomada história da literatura africana data dos tempos antigos e inclui todos aqueles trabalhos escritos deixados para trás pelos antigos egípcios. Em um sentido mais moderno, a literatura africana denota as peças, poemas, romances, contos e outros trabalhos escritos produzidos na África contemporânea, com foco nas primeiras colônias europeias da África oriental, ocidental e subsaariana.

Outras pessoas estão lendo

Uma breve história da literatura africana

A história da literatura africana estende-se através de um vasto período de tempo, começando milhares de anos antes do nascimento de Cristo. As primeiras peças conhecidas dessa literatura, em papel, os papiros mortuários egípcios, datam de 2300 a 2100 a.C. Os hieroglifos na arquitetura pré-datam esses papiros em 1.000 anos ou mais. A literatura da África passou por muitos estágios, desde o seu início no antigo Egito, incluindo a literatura do Império Africano proveniente dos reinos pós-egípcios, que duraram do primeiro ao décimo quinto século da Era Comum, as literaturas de comércio de escravos e do imperialismo europeu, anticolonial e pós-independência nos séculos XX e XXI. Os primeiros exemplos de literatura subsaariana apareceu em 1520 e guardava forte semelhança com a literatura islâmica, uma clara influência.

As muitas vozes da literatura africana

Estudiosos, como Jonathan P. Smithe, editor do livro "African literature: Overview and Bibliography", ressalta que a literatura africana difere muito de outras, como a inglesa, japonesa ou russa, por duas razões principais. Primeira e mais notável, constitui a literatura de todo um continente e representa mais de 50 países. Além disso, os escritores africanos usam várias línguas ao criar literatura, incluindo as indígenas, como o egípcio antigo e várias línguas locais, tribais até o árabe, inglês e francês. Os escritores africanos que falam múltiplas línguas, muitas vezes usam a linguagem para expressar um tema ou ideia, como escrever em uma língua indígena como um manifesto anticolonial.

Temas, tópicos e estilos

Os temas e tópicos da literatura africana acabam por se relacionar ao período do qual vieram trabalhos específicos. A literatura anticolonialista dos séculos XIX e XX, por exemplo, abordou diretamente as questões de soberania e opressão, enquanto a literatura pós-independência geralmente lida com a confusa história da África desde o declínio dos impérios e a maneira como esta história moldou a autoidentidade africana e a imagem global. O racismo, como tema, permeia a literatura africana desde a era da escravidão. Ela contém elementos de religiões modernas e antigas, incluindo o paganismo egípcio, islamismo e cristianismo, incorporando ao mesmo tempo elementos de realismo, realismo mágico, pós-modernismo e mito africano.

Trabalhos e escritores famosos

Chinua Achebe se tornou o primeiro escritor nativo africano da idade moderna, internacionalmente reconhecido com a publicação de seu trabalho original, "Things Fall Apart", que examinava a vida e a identidade da África colonial sob uma perspectiva nativa. Trabalhos pré-coloniais famosos de literatura africana incluem o Livro Egípcio dos Mortos, "Shrine of Ancestors", em língua swahili ou suaíle, e o antigo Épico de Sundiata. Alguns trabalhos modernos importantes incluem "Their Eyes Were Watching God", de Zora Neale Hurston; a peça de Alan Paton, "Cry the Beloved Country" e o texto psicológico "Black Skin, White Masks", de Frantz Fanon.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível