Mais
×

Top 5 filmes de Tarantino

Tarantino já ganhou dois Oscars ao longo de sua carreira, com "Pulp Fiction" e "Django Livre"
Divulgação Miramax

Introdução

Violência, roteiros não lineares e diálogos realistas e memoráveis são algumas marcas dos filmes do diretor de cinema estadunidense Quentin Tarantino. "Cult" desde a estreia, Tarantino usa seu vasto conhecimento da história da sétima arte para construir um cinema de estilo único, repleto de referências à própria arte cinematográfica e personagens inesquecíveis. Relembre aqui seus melhores momentos.

Michael Madsen é um dos astros de "Cães de Aluguel"
Sebastian Artz/Getty Images Entertainment/Getty Images

Cães de Aluguel (1992)

Película de estreia de Tarantino na direção. O criminoso Joe Cabot (Lawrence Tierney) organiza seis bandidos para executar um roubo de diamantes. Nenhum deles se conhece e se comunicam entre si utilizando apenas codinomes: Mr. White (Harvey Keitel), Mr. Orange (Tim Roth), Mr. Blue (Edward Bunker), Mr. Brown (Quentin Tarantino), Mr. Pink (Steve Buscemi) e Mr. Blonde (Michael Madsen). O assalto fracassa e os membros da gangue reunidos em um galpão acusam uns aos outros, suspeitando de que um deles é informante da polícia. Muito sangue e um desfecho eletrizante. "Cães de Aluguel" ganhou o Prêmio do Grande Júri no Festival de Sundance de 1992.

"Pulp Fiction - Tempo de Violência" garantiu a Tarantino seu primeiro Oscar
Reprodução : IMDb|Miramax

Pulp Fiction - Tempo de Violência (1994)

Em "Pulp Fiction - Tempo de Violência", as vidas de personagens do submundo se entrelaçam em três histórias de violência e redenção nesse filme recheado de referências à cultura pop, que inaugurou uma nova estética cinematográfica. Vincent Vega (John Travolta) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) são dois homens da máfia responsáveis por fazer cobranças para Marsellus Wallace (Ving Rhames). Vincent é forçado a sair com a tentadora mulher de seu chefe (Uma Thurman). Já o boxeador Butch Coolidge (Bruce Willis), arruma problemas ao ganhar uma luta que deveria ter perdido. A película deu a Tarantino seu primeiro Oscar – de Melhor Roteiro Original – em 1995, e revitalizou a carreira de John Travolta.

A atriz Uma Thurman é a protagonista de "Kill Bill"
Reprodução IMDb|Miramax

Kill Bill - Volumes I (2003) e II (2004)

Depois de acordar do coma após cinco anos, a assassina profissional, chamada simplesmente de "Noiva" (Uma Thurman), planeja e executa vingança contra o grupo de assassinos que a traiu e tentou matá-la no dia da cerimônia de seu casamento. No confronto final, ela encontra Bill, seu antigo mentor e amante, que ordenou sua execução. Ritmo frenético, muita ação e sangue garantidos. A saga "Kill Bill" é repleta de coreografadas lutas marciais, umas das paixões do diretor.

Brad Pitt protagoniza "Bastardos Inglórios"
Reprodução IMDb

Bastardos Inglórios (2009)

Durante a 2ª Guerra Mundial, na França ocupada pelos nazistas, a jovem Shosanna Dreyfuss (Mélanie Laurent) testemunha a execução de sua família pelo coronel alemão Hans Landa (Christoph Waltz). Fugitiva, vai para Paris, onde passa a trabalhar em um cinema. Enquanto isso, o tenente Aldo Raine (Brad Pitt) comanda um pelotão de soldados mercenários judeus para realizar uma missão quase suicida com a ajuda da atriz alemã e agente secreta Bridget Von Hammersmark (Diane Kruger) para acabar com oficiais nazistas. No desfecho, o acaso reúne todos no cinema de Shosanna. "Bastardos Inglórios" subverte com ousadia fatos históricos para contar essa saga surpreendente do início ao fim.

O diretor Quentin Tarantino no set de filmagem de "Django Livre"
Reprodução IMDb|Andrew Cooper, SMPSP - © 2012 - The Weinstein Company

Django Livre (2012)

Com a ajuda do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz), o escravo liberto Django (Jamie Foxx) parte em uma jornada de vingança para resgatar sua mulher (Kerry Washington) das mãos do cruel senhor de terras Calvin Candie (Leonardo DiCaprio). Django recebeu o Oscar de Melhor Roteiro Original em 2013. No melhor estilo Tarantino, são várias as citações ao western spaghetti – filmes passados no velho oeste americano e produzidos na Itália nos anos 1960 e 1970 –, e cinema exploitation, conhecido pelo exagero e sensacionalismo.