Uso de máscaras no carnaval da Espanha

Escrito por marianne carroll | Traduzido por rafael reis
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Uso de máscaras no carnaval da Espanha
As máscaras de carnaval são tipicamente usadas com fantasias deslumbrantes (venice carnival image by Harrycat from Fotolia.com)

Luxuosas máscaras de carnaval são usadas a cada fevereiro em mais de 20 cidades por toda a Espanha. Os participantes deste evento, um festival público de excessos que inaugura a chegada da Quaresma, usam fantasias e máscaras elaboradas, muitas vezes fazendo coisas radicais que normalmente seriam socialmente inaceitáveis. As máscaras têm servido historicamente para proteger a identidade desses carnavalescos. Elas também contribuem com a beleza, o mistério, e dão brilho ao espetáculo do festival.

Outras pessoas estão lendo

Função

As máscaras servem tradicionalmente a três propósitos nas celebrações do carnaval espanhol: decoração, anonimato e expressão pessoal. O carnaval é uma época de alegria antes do período sombrio e acético da Quaresma. As máscaras brilhantes e coloridas contribuem para a diversão do feriado. Essas máscaras também permitem que os participantes do evento mantenham-se no anonimato enquanto excedem no comportamento. Embora as máscaras e fantasias do carnaval sejam sempre muito chamativas, elas também podem ser incisivas e engenhosas, zombando de figuras públicas e fazendo declarações políticas.

Significado

De acordo com um artigo de 1993 do antropólogo David Gilmore, o carnaval espanhol permite a suspensão temporária da identidade pessoal e do status social. Os participantes transgredem as barreiras de gênero e classe, ignorando as regras religiosas e sociais. As máscaras representam essa fluidez social. Elas também permitem que os carnavalescos assumam novas identidades e ajam de maneiras que, em qualquer outro período do ano, seriam consideradas impróprias ou chocantes. As máscaras são parte da razão pela qual, no carnaval, tudo pode acontecer.

História

O carnaval da Espanha é descendente do carnaval italiano de Veneza. Os carnavais europeus derivam de muitas tradições do festival romano Saturnalia e o festival grego Dionysia, ambos envolvendo máscaras. O carnaval espanhol foi banido pela ditadura de Franco entre 1938 e 1981, transformando o festival em um ato de protesto político. Durante esse período, como David Gilmores detalha em seu artigo "The Democratization of Ritual: Andalusian Carnival after Franco" (A Democratização do Ritual: O Carnaval de Andaluz depois de Franco), as máscaras protegiam a identidade dos carnavalescos politicamente subversivos.

Geografia

As máscaras podem ser vislumbradas em muitas celebrações de carnaval, as mais suntuosas acontecem em Cádiz, Tenerife e Stiges. No entanto, as máscaras são particularmente populares nos carnavais na região espanhola de Zamora, que faz fronteira e compartilha uma herança cultural com o norte de Portugal. Para os viajantes interessados em conhecer detalhadamente o carnaval de máscaras de Zamora, o Museu de Máscaras e Fantasias Ibérico possui dois andares dedicados ao carnaval e as festividades de máscaras de Zamora. Esse museu se localiza em Bragança, Portugal.

Considerações

Embora as máscaras sejam uma parte importante do carnaval da Espanha, elas não são um acessório obrigatório. A permissividade da sociedade contemporânea, combinada com a importância da liberdade, da expressão democrática da Espanha pós-Franco, significam que as máscaras não são mais necessárias. No entanto, elas ainda fazem parte da experiência do carnaval por representarem a alegria, a beleza e a coesão social que o feriado traz à tona.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível