As vantagens e desvantagens de uma monocultura

Escrito por charles clay | Traduzido por débora sousa
As vantagens e desvantagens de uma monocultura
Um monocultura é uma população de plantas que consiste quase inteiramente de uma única espécie (Ablestock.com/AbleStock.com/Getty Images)

Uma monocultura é o cultivo de apenas uma cultura ou produto sem o uso da terra para outros fins, como geralmente ocorre em áreas sob técnicas agrícolas modernas (ver referência 2). Em um campo de milho, por exemplo, o milho é a única planta esperada, cuidada e tolerada, sendo que todas as outras são consideradas como ervas daninhas. Embora a agricultura de monocultura represente a grande maioria da produção de alimentos moderna, esse sistema apresenta vantagens e desvantagens.

Simplicidade

Um campo de monocultura é um sistema muito simples. O preparo do solo, a irrigação e a aplicação de produtos químicos podem ser focados nas necessidades e preferências de uma única espécie de planta. Isso permite que o campo seja fortemente especializado para a produção de rendimentos máximos para uma plantação específica. As pragas e doenças podem ser tratadas sem se preocupar com os efeitos do tratamento em quaisquer outras plantas. A uniformidade de um campo de monocultura é especialmente importante na colheita, uma vez que as partes desejadas de uma planta podem ser facilmente coletadas utilizando técnicas simples que seriam altamente destrutivas para outras culturas que partilham o mesmo campo.

Doenças e pestes

Os campos de monocultura são vulneráveis ​​a surtos generalizados de doenças e pragas. Se uma determinada doença puder infectar uma única planta em um campo de monocultura, ela poderá infectar, por extensão, todas as outras plantas no campo. Uma planta infectada nessa situação é cercada por nada além de vetores para novas infecções. Da mesma forma, se uma praga for capaz de atacar uma planta em uma monocultura, ela estará cercada por outras plantas vulneráveis, o que pode rapidamente levar a uma explosão populacional.

Recursos

Uma única espécie vegetal não é capaz de tirar o máximo proveito de qualquer ambiente devido a variáveis ​​como mineral e necessidades nutricionais, a profundidade da raiz e subprodutos metabólicos. Plantar uma monocultura na mesma área por períodos prolongados esgota os recursos requeridos por essa espécie de planta, negligenciando os recursos disponíveis que outras espécies vegetais poderiam aproveitar. A rotação de culturas pode ajudar a atenuar esse problema, mas isso normalmente envolve plantar culturas menos rentáveis ou de rendimentos mais baixos, ou deixar a terra em repouso completo por estações de crescimento inteiras.

Ecologia

As monoculturas não fornecem um habitat rico para outras floras e faunas. Outras plantas são indesejáveis ​​pela definição de monoculturas e são ativamente desencorajadas. Os animais encontram um ambiente uniforme que pode cumprir algumas de suas exigências, mas pode não ter todas as características de um habitat. No caso da agricultura monocultura generalizada, isso pode levar à extinção ou deslocação de espécies inteiras em determinadas áreas.

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível