Mais
×

Vegano, ovo-lacto, vegetariano: qual é a diferença?

A busca pela saúde é a base dessas dietas
Getty Images

Introdução

Quando se trata de escolhas naturais para a alimentação, provavelmente o primeiro assunto que vem a sua mente é o vegetarianismo: uma dieta sem carne. No entanto, se pesquisar mais sobre o assunto, você verá que existem várias formas de seguir essa filosofia de vida e que cada uma tem suas características: com produtos lácteos, ovos, mel, sem nenhum alimento de origem animal e tantas outras mais. Entenda cada uma seguindo os próximos slides.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Lacto vegetarianismo

É o tipo de vegetarianismo que aceita o consumo de derivados do leite. A maioria dos lactovegetarianos estão na Índia e na bacia do Mediterrâneo. Esse tipo de dieta vegetariana é popular entre os seguidores de tradições religiosas, como os jainistas, os hinduístas e os budistas.

Hemera Technologies/AbleStock.com/Getty Images

Ovo-lacto vegetarianismo

Os ovolactovegetarianos não comem carne nem peixe, mas consomem ovos e produtos lácteos (leite e seus derivados, como queijo e iogurte). Muitas pessoas não os consideram vegetarianos, já que comem ovos. No entanto, esse é o estilo mais comum de vegetarianismo nos países ocidentais.

Eising/Photodisc/Getty Images

Ovo vegetarianismo

Como o próprio nome já diz, os ovo-vegetarianos consomem ovos (não comem carnes nem produtos lácteos). Da mesma forma como acontece com os ovolactovegetarianos, muitos não os consideram vegetarianos de verdade, já que incluem os ovos em sua dieta. Mas quem escolhe essa filosofia de vida afirma que as emissões de carbono associadas à criação de frangos são menores do que as geradas pelas criações de gado.

Stockbyte/Stockbyte/Getty Images

Api-vegetarianismo

Os api-vegetarianos são aqueles que aceitam o mel nas suas dietas. Também existem os api-ovolactovegetarianos, os api-lactovegetarianos e os api-ovo-vegetarianos. Apesar de utilizarem o mel como opção para adoçar receitas, o fato de ser uma produção animal para o consumo humano gera discussões entre os vegetarianos.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Vegetarianismo estrito

Os vegetarianos estritos ou veganos são os que evitam qualquer tipo de produto de origem animal não só na dieta, mas também em todos os outros hábitos por questão ética: evitar a exploração do animal pelo ser humano. Isso significa a exclusão de carne, ovos, produtos lácteos, mel, assim como cosméticos, roupas, atividades recreativas, por exemplo.

Jupiterimages/Photos.com/Getty Images

Crudívoros

Os crudívoros são os vegetarianos que comem apenas comida crua ou morna, desde que não tenha sido aquecida acima dos 46,7°C. A filosofia por trás dessa dieta é que o cozimento destrói as enzimas dos alimentos. Como nos outros casos, existem variações dentro dessa corrente.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Crudiveganismo

Os crudiveganos são aquelas pessoas cujas dietas são baseadas nas comidas veganas cruas. Em outras palavras, é uma variação do vegetarianismo estrito combinada com os alimentos crus. Essa é uma filosofia mais rigorosa e pode ser mais difícil de seguir. Entretanto, nos últimos anos, a comida crua ficou mais popular, além de existirem restaurantes e grande oferta de receitas que podem ser feitas nesse tipo de dieta.

Brand X Pictures/Brand X Pictures/Getty Images

Macrobiótica

Outro tipo de dieta benéfica para o organismo é a macrobiótica. Ela não é uma dieta vegetariana, mas determina que, a partir das propriedades de cada alimento, a pessoa encontre o que lhe faz bem, mantendo uma alimentação balanceada, segundo o princípio do Yin e do Yang.

Digital Vision./Digital Vision/Getty Images

Lacto-cerealistas

Os lacto-cerealistas têm o mesmo objetivo que os vegetarianos: a saúde, a pureza e o bem-estar, assim como a harmonia entre o corpo e o espírito. Seu regime propõe uma dieta baseada fundamentalmente no leite e seus derivados e nos cereais. Essa linha alimentar costuma ser seguida dentro de práticas como a yoga.

Jupiterimages/Comstock/Getty Images

Frutarismo

O frutarismo ou frugivorismo propõe a volta ao que seus seguidores consideram a única forma de alimentação natural: a do homem pré-histórico, que era vegetariano, mas não consumia verduras e legumes. Alguns frutarianos só comem as partes da planta que tenham caído naturalmente (como as frutas que caem das árvores), mas nada que precise ser colhido.