on-load-remove-class="default-font">
×
Loading ...

Cães: sintomas das crises de vesícula

Atualizado em 21 novembro, 2016

Os cães não sofrem de crises na vesícula como os humanos, apesar de muitas das mesmas doenças poderem afetar ambas as espécies. A doença da vesícula biliar é algo de difícil diagnóstico nos cachorros, já que os sintomas são similares aos de outras condições. Quando esse órgão não funciona corretamente, ele pode levar a problemas com digestão, causar dores abdominais e criar um desequilíbrio entre as enzimas e os nutrientes.

Os cães não sofrem de crises na vesícula como os humanos (goldyrocks/iStock/Getty Images)

A vesícula biliar

A vesícula é semelhante a um balão e é um órgão não vital, localizado entre os lóbulos do fígado. Ela armazena bile, que é produzida no fígado. Essa substância quebra as gorduras presentes nos alimentos parcialmente digeridos. A bile é armazenada na vesícula entre as refeições, quando se torna concentrada e aumenta de potência. Quando liberada, ela entra no intestino delgado através de um tubo chamado de ducto biliar. Existem três categorias de doenças que podem afetar a vesícula: obstrutiva, não obstrutiva e a ruptura da vesícula ou dos ductos biliares.

Loading...
Existem três categorias principais das doenças da vesícula (Purestock/Purestock/Getty Images)

Sintomas/Diagnóstico

Os sintomas das doenças biliares se assemelham a muitas outras doenças, o que dificulta o diagnóstico. Podem-se incluir: perda de apetite, de peso, vômitos, diarreia, fezes mais claras e icterícia. Alguns cachorros podem ainda sofrer de dores abdominais e febre. Antes que o diagnóstico seja feito, normalmente as doenças da vesícula estão bem avançadas.. Seu veterinário fará um exame físico completo, junto com uma análise geral de hemograma e do soro sanguíneo. Talvez sejam feitos radiografias do abdômen. Contudo, o melhor exame é a sonografia abdominal.

Os sintomas das doenças biliares podem se assemelhar a outras doenças (mladensky/iStock/Getty Images)

Tratamento

Apesar de alguns problemas inflamatórios poderem ser tratados com antibióticos, o melhor curso de tratamento é a remoção cirúrgica do órgão em questão. Já que essa condição avança progressivamente a um estágio crítico antes da cirurgia, a chance de complicações pós-cirúrgicas geralmente são altas, especialmente em casos de ruptura. De 20 a 50% dos cachorros podem não sobreviver aos primeiros dias depois da operação. Depois da remoção, a bile flui diretamente do fígado e não é tão concentrada. Dessa forma, os cães devem realizar uma dieta com baixos índices de gordura.

O melhor curso de ação é a cirurgia de remoção da vesícula (Gustavo Andrade/iStock/Getty Images)

Doenças obstrutivas

A razão mais comum para a obstrução da vesícula em cachorros é a doença pancreática. A inflamação no pâncreas pressiona a vesícula, impedindo a constrição e a liberação da bile. Apesar de incomum, cálculos biliares (colélitos) podem se formar e ficar alojados na abertura do ducto, obstruindo o fluxo de bile. Mucocele é o acúmulo de muco na vesícula, que resulta em uma diminuição da motilidade, além do acúmulo de líquido biliar, que pode bloquear o ducto biliar.

A doença pancreática é a razão mais comum da obstrução da vesícula (Oksana Byelikova/iStock/Getty Images)

Doenças não obstrutivas

As possíveis causas de uma inflamação da vesícula (colecistite) são: infecção bacteriana, obstrução pelos colélitos, câncer ou inflamação nos tecidos ao redor. A colecistite necrotizante é uma infecção no órgão em questão e é uma causa comum da ruptura desse. Já a colecistite enfisematosa é um acúmulo de gases na vesícula, sendo causada pela produção gasosa bacteriana, como a E. coli ou Clostridium perfringens.

A infecção causa inflamação da vesícula (Jupiterimages/Digital Vision/Getty Images)

Ruptura

Quando a vesícula é incapaz de se esvaziar e liberar a bile para o ducto biliar, ela ficará inflamada e infeccionada, levando a um rompimento ou ruptura do órgão. Isso também pode ser resultante de um trauma, como no caso de um atropelamento. A ruptura da vesícula é de fato uma emergência. A bile e o material infeccionado podem seguir para o abdômen, causando peritonite. Essa é uma infecção na mucosa do estômago, sendo fatal.

Quando a vesícula se rompe, seu cachorro precisará de uma cirurgia de emergência (Fabio Lavarone/iStock/Getty Images)
Loading...

Referências

Recursos

Loading ...
Loading ...