As desvantagens dos fungos

Escrito por ho-diep dinh | Traduzido por mariana dsp
As desvantagens dos fungos
Os membros do reino dos fungos são imóveis (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Os membros do Reino dos Fungos incluem cogumelos comestíveis e venenosos, bolores que dão sabor aos queijos, leveduras que fermentam o pão, medicamentos, como a penicilina, e organismos que causam doenças. Apesar de se parecerem muito com as plantas, o fungos não produzem seu próprio alimento, então, ou se alimentam de organismos mortos, ou parasitam outros. Eles digerem o alimento fora do corpo antes de ingeri-lo. Algumas espécies incluem duas formas: uma forma de levedura, que fica encapsulada em temperatura ambiente, e uma forma de mofo, feita de estruturas filiformes na temperatura do corpo. Os medicamentos que tratam de infecções fúngicas interrompem algumas funções importantes na célula do fungo, como a produção da parede celular.

Bolores em alimentos

O bolor se forma em ambientes úmidos. Eles são formados por porções visíveis chamadas hastes, apêndices filiformes que dão apoio ao bolor e esporos que se fixam à haste. Esses esporos, a estrutura reprodutora do bolor, são transportados pelo ar. Quando inalados, eles causam problemas respiratórios e atacam alergias. Alguns mofos produzem venenos, ou micotoxinas, como aflatoxina, um agente causador de câncer. O bolor se forma em alimentos e se prende ao interior das geladeiras e das ferramentas de limpeza. Para limitar a exposição o máximo possível, cubra e refrigere os alimentos imediatamente, consuma as sobras dentro de poucos dias e evite ficar muito perto de itens embolorados.

Cogumelos venenosos

Certos cogumelos venenosos lembram os comestíveis e podem enganar um amador, levando à morte quase certa mesmo que você coma uma quantidade muito baixa. Os cogumelos do grupo Amanita não têm antídoto, matando o indivíduo devido à falência do fígado e do rim. Os "false morels" parecem-se com os "true morels", mas os primeiros atacam o sistema digestório, ocasionalmente levando à morte. Algumas outras espécies nocivas podem causar somente uma irritação gastrointestinal ou causar alucinações.

As desvantagens dos fungos
Os cogumelos Amanita estão entre os tipos mais mortais de cogumelos venenosos (Photos.com/Photos.com/Getty Images)

Infecções superficiais e subcutâneas

Os fungos podem se infiltrar em camadas externas do corpo humano e causar coceira e erupções. Diversas doenças fúngicas tratáveis e comuns afetam a pele, cabelo e unhas. A micose causada por diversas espécies de Tinea podem afetar a cabeça, o tronco e as extremidades. O pé de atleta, por exemplo, é como uma micose no pé. A piedra preta faz com que se formem calombos escuros na linha do cabelo. As infecções fúngicas nas unhas do pé, ou onicomicose, são ramificações de infecções no pé. Essas se espalham a partir do objeto ou pessoa infectada. Manter as partes do corpo secas e arejadas ajuda a evitar essa ocorrência.

Micoses sistêmicas

Quatro espécies de fungos - Coccidioides immitis, Histoplasma capsulatum, Paracoccidioides brasiliensis and Blastomyces dermatitidis - produzem esporos que causam as chamadas micoses sistêmicas, que são infecções fúngicas que afetam mais do que uma parte do corpo. Em indivíduos saudáveis, a infecção ou não causará nenhum sintoma ou será curada sozinha. Em imunocomprometidos e pessoas muito jovens ou muito velhas, a inalação de esporos fúngicos pode causar doenças generalizadas em diversos órgãos de uma só vez, podendo até levar à morte. O tratamento costuma incluir medicamentos antifúngicos, como a anfotericina B.

Efeitos dos fungos em outros organismos

Mais de 8.000 espécies de fungos afetam as plantas, o que os coloca como os mais comuns patógenos de plantas, ou organismos causadores de doenças. Essas espécies parasitas fazem com que as frutas e vegetais tornem-se não comestíveis, amarelam as folhas e, por vezes, matam a planta. As doenças fúngicas em plantas levam a perdas financeiras na indústria de agricultura, além da falta de alimentos para consumo humano e animal, afetando as plantas antes ou depois de elas terem sido colhidas. Ao alterar a genética da planta em relação à suscetibilidade, os botânicos esperam suavizar os efeitos das doenças fúngicas.