Dicas de enfermagem para lidar com pacientes agressivos

Escrito por lynda lampert | Traduzido por lara scheffer
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Dicas de enfermagem para lidar com pacientes agressivos
Ficar com raiva de um paciente agressivo não vai ajudar (Comstock Images/Comstock/Getty Images)

Existem pacientes de todas as formas e tamanhos, e às vezes eles podem ser agressivos. Não importa se eles possuem distúrbios mentais, estão intoxicados ou com raiva, o desafio ainda é o mesmo. Uma enfermeira precisa manter o controle e se desconectar dos seus próprios sentimentos, para o bem do paciente. Se ela espera controlar a situação e terminar o conflito de forma tranquila, precisa saber como conversar e ouvir um paciente agressivo de forma calma e com cuidado. Existem certas técnicas que são mais úteis do que outras na hora de alcançar esse objetivo.

Outras pessoas estão lendo

Técnica da terceira pessoa

A técnica da terceira pessoa é um método usado para ajudar a acalmar um paciente agressivo. Ela envolve pedir a outra enfermeira ou funcionário qualificado que não estava lá no começo do conflito para entrar e tentar conversar com ele. Isso permite que alguém neutro na situação fale calmamente com o paciente. A pessoa agindo como negociador deve usar técnicas de comunicação terapêuticas e tentar desenvolver uma conexão com o paciente para resolver a situação de forma tranquila.

Técnicas para usar

Uma enfermeira deve tentar manter a distância de um braço de um paciente agressivo e deve se manter calma. Reconheça os sentimentos do paciente para que ele saiba que está sendo ouvido. Declare "Parece que você está com raiva" para comunicar que você está ciente de seu estado emocional. Use habilidades de escuta ativa, mantendo o contato visual e parafraseando o que o paciente está dizendo. Faça perguntas abertas para descobrir a causa da raiva. Se ele exigir um pedido de desculpas, se desculpe, mas não minta. Estabeleça limites firmes em que comportamentos são aceitáveis nessa troca. Sempre mantenha um caminho livre até a porta.

Técnicas para evitar

Não toque o paciente ou tente segurá-lo com as mãos. Isso pode fazer com que ele tente lhe agredir fisicamente. Não tente interrompê-lo com a verdade. Isso só fará com que ele pense que você não está o escutando e deixá-lo ainda mais irritado. Permita que ele use a linguagem que quiser, porque repreendê-lo só irá piorar as coisas. Não deixe que ele delire. Traga-o de volta à realidade, mesmo se for difícil. Não fique com raiva, na defensiva ou contrarie as opiniões do paciente. Essas são coisas que com certeza piorarão a situação e provavelmente iniciarão um conflito físico.

Restrições

Na maior parte do tempo, restrições devem ser evitadas. Elas podem levar a respostas negativas dos pacientes, tanto mental quando fisicamente. Às vezes não há outra opção além de restringir um paciente, mas todas as outras intervenções terapêuticas devem ser usadas antes de recorrer a uma ação tão extrema. As restrições causam lesões e podem levar até a mote, de acordo com a Joint Comission. Essa intervenção deve ser usada apenas se o paciente está se machucando ou aos outros e não há nenhuma maneira de se comunicar com ele para impedir suas ações.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível