Diferenças entre IMRT e IGRT

Escrito por chandra anderson | Traduzido por eduardo horst maidana
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Diferenças entre IMRT e IGRT
A IGRT é uma ferramenta para melhorar a eficácia da IMRT (Jupiterimages/Polka Dot/Getty Images)

A radioterapia de intensidade modulada (Intensity-modulated radiation therapy, IMRT) é um tipo de terapia usada para tratar tumores cancerosos. Essa terapia é usada sozinha ou em conjunto com outros tratamentos tradicionais para o câncer, como a quimioterapia, e é particularmente efetiva no tratamento de tumores no cérebro e outras regiões em que o tratamento cirúrgico não for a primeira opção. A radioterapia guiada por imagem (Image guided radiotherapy, IGRT) é usada em conjunto com a IMRT para guiar a radioterapia a uma área específica.

Outras pessoas estão lendo

IMRT

Antes da introdução da IMRT, a radioterapia envolvia não somente as áreas afetadas (cancerosas) da pessoa, mas também os tecidos saudáveis, que recebiam radiação desnecessária e danosa. Essa tecnologia foi desenvolvida devido ao fato de que, apesar de efetiva, a radiação não era, àquele tempo, fácil de conter ou direcionar, proporcionando uma melhor eficácia no tratamento da área tumoral com menos danos aos tecidos saudáveis.

Limitações da IMRT

Apesar da disponibilidade de tratamentos melhores e mais orientados, a IMRT continuava limitada e podia apenas se adequar à forma aproximada e era efetiva apenas nas áreas superficiais dos tumores. Os cantos, fendas e superfícies onduladas não eram totalmente cobertos, pois o que estava sendo tratado estava dentro do paciente e não podia ser visto. Como o método de irradiação pelo IMRT se tornou mais preciso, a necessidade de mapear a localização do tumor se tornou evidente.

IGRT

Junto com os avanços na radioterapia veio a introdução do IGRT. Se o IMRT é um método efetivo de irradiação na radioterapia, então o IGRT é um método avançado para mapear a área que será alvo da radiação. Entre os tratamentos, o tumor pode se mover um pouco em resposta à posição de outros órgãos ou a respiração do paciente. Usando uma tomografia computadorizada (TC), o oncologista radioterapeuta pode localizar precisamente o tumor imediatamente antes do tratamento. Em algumas circunstâncias, pequenos pedaços de ouro podem ser colocados em pontos ao longo da borda do tumor para identificar sua forma e localização. As imagens da TC são enviadas para um computador e somadas a exames anteriores. Então, o IGRT calcula qualquer mudança na radioterapia em tempo real.

IGRT com marcação de dose

Outro avanço no IGRT é o uso de tomografias por emissão de pósitrons (PET, positron emission tomography) para gerar imagens 3D das imagens funcionais (imagens de células que mostra a função em vez de simples características anatômicas) das células. Essas imagens mostram áreas benignas e malignas do tumor e dos tecidos adjacentes. Então, o IGRT pode marcar a superfície das área que necessitam de radiação antes do tratamento.

Considerações sobre o IGRT

Apesar da IGRT não necessitar de nenhum contato direto com o paciente, ela tem suas desvantagens. O processo requer muito tempo e alta capacitação profissional. Além disso, os custos podem ser significativos para os indivíduos em tratamento. Apesar de mínima, as doses extras de radiação (nas TCs e PETs) necessárias para mapear o tumor merecem consideração. Por fim, erros no direcionamento da radiação são uma possibilidade e exigem cautela.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível