Como diferenciar sentenças imperativas de exclamativas

Escrito por sam grover | Traduzido por geissy de assis
  • Compartilhar
  • Tweetar
  • Compartilhar
  • Pin
  • E-mail
Como diferenciar sentenças imperativas de exclamativas
Frases imperativas estão por toda parte (Thinkstock/Comstock/Getty Images)

As sentenças imperativas e exclamativas são dois tipos de frases usadas no Português falado e escrito. Elas são um par interessante, porque não são mutuamente exclusivas. Uma sentença pode ser imperativa sem ser exclamativa, mas também pode ser ambas. Para dizer a diferença entre as duas, é preciso atentar para o quê e como está sendo dito ou escrito.

Nível de dificuldade:
Fácil

Outras pessoas estão lendo

Instruções

  1. 1

    Avalie como responder a uma sentença. Se você pode dizer "sim, eu vou fazer isso" ou "não, eu não vou", então é uma frase imperativa. Uma frase imperativa dá um comando. "Há uma chave na porta" não é imperativa, porque você não pode responder com "sim, eu vou." A frase: "Vire a chave na porta" é imperativa, porque você pode, logicamente, dizer "sim, eu vou fazer isso".

  2. 2

    Procure por um forte sentimento na sentença. O ponto de exclamação (!) É um sinal chave de sentimentos elevados, então sua presença é um bom indicador se a frase for exclamativa. "Gire a chave na porta!" é exclamativa, assim como "Você girou a chave na porta?!"

  3. 3

    Observe se a sentença é exclamativa e imperativa, apenas uma delas, ou nenhum das duas. Isso é importante porque prova que as sentenças não têm que ser de apenas um tipo.

Não perca

Filtro:
  • Geral
  • Artigos
  • Slides
  • Vídeos
Mostrar:
  • Mais relevantes
  • Mais lidos
  • Mais recentes

Nenhum artigo disponível

Nenhum slide disponível

Nenhum vídeo disponível